Diálogos interculturais e identidades nacionais: transculturalidade e transdisciplinaridade

  • Martha Abrahão Saad Lucchesi Universidade de São Paulo
  • Eliana Branco Malanga FPA/UNIFESP

Resumo

O objetivo deste estudo é traçar um paralelo entre as identidades nacionais e as disciplinas, mostrando que a integração cultural, assim como a inter e a transdisciplinaridade decorrem da modificação do estatuto de poder. A disciplinaridade da ciência moderna nasce simultaneamente ao racionalismo e ao Estado nacional. Hoje, a Europa se debate com choques culturais resultantes da mundialização da economia e do deslocamento das pessoas com a permeabilidade das fronteiras nacionais e as Américas partem de uma identidade moderna para buscar a superação de suas fronteiras e a integração cultural. É necessário registrar que o Estado brasileiro tem mesclado culturas desde sua origem colonial, caracterizando-se pelos sincretismos, e busca sua identidade nacional transcultural a partir do início do século XX. Como objetivo específico, pretende-se mostrar que os países das Américas gozam de uma situação privilegiada para promover a interculturalidade. Para fundamentar nossa proposta de uma transculturalidade a partir do modelo brasileiro, tomamos como teorias de base Bauman (1999a, 1999b, 2004, 2005), Foucault (1995, 1987), Castells (1999), Morin (2002) e Nicolescu (1997, 2001, 2003). Serão utilizados os métodos histórico e comparativo, e a abordagem dedutiva, e como técnica a pesquisa bibliográfica.

Palavras-chave: Interdisciplinaridade. Transdisciplinaridade. Glocalização. Culturas

Biografia do Autor

Martha Abrahão Saad Lucchesi, Universidade de São Paulo
Martha Abrahão Saad Lucchesi concluiu o doutorado em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 1999. É graduada em Letras,Direito e Pedagogia. Atualmente é pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Políticas Públicas(NUPPs) da USP,onde a partir de janeiro de 2009 realiza o seu Pós-Doutorado,financiado pela Fapesp.Publicou 22 artigos em periódicos especializados e mais de cem trabalhos em anais de eventos. Possui 10 capítulos de livros e 3 livros publicados. Possui 11 processos ou técnicas e outros 54 itens de produção técnica. Participou de 20 eventos no exterior 54 no Brasil. Entre 1991 e 2010 participou de 10 projetos de pesquisa, sendo que coordenou 7 destes. Atua na área de Educação, com ênfase em Políticas Educacionais
Eliana Branco Malanga, FPA/UNIFESP
Publicado
03-05-2012