RESSIGNIFICAÇÃO DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS SOB O PRISMA DO MULTICULTURALISMO E DA FRATERNIDADE

Autores

  • Deisemara Turatti Langoski Universidade Federal de Santa Catarina
  • Helenice da Aparecida Dambrós Braun Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar a concepção terminológica e conceitual, bem como os fundamentos legais dos direitos humanos na contemporaneidade. Mostram-se os desafios apresentados pelos direitos humanos em face do multiculturalismo, com relevância para os temas da igualdade e da diferença. Estuda-se a fraternidade, que está no cerne da questão multicultural, tendo em vista que, por ser direito humano fundamental de terceira geração, reconhecida em instrumentos jurídicos, traz elementos para a afirmação e a valorização das diferenças de culturas que compõem a sociedade, com ênfase ao reconhecimento do outro, o respeito das diversidades e garante a dignidade humana. A fraternidade tem a capacidade de reavivar na sociedade a importância da existência da pessoa, pois contribui para a transformação das relações sociais e humanas. Sua conjuntura aliada à heterogeneidade de culturas existentes tem o condão de ressignificar os direitos humanos fundamentais, em prol do bem estar da humanidade.

Biografia do Autor

Deisemara Turatti Langoski, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Direito UFSC

Mestre em Direito do Estado pela UFPR

Especialista em Direito Público, com ênfase em Direito Constitucional pela Unoesc - Campus Chapecó

Especialista em Direito de Família pela PUC Minas

Especialista em Docência do Ensino Superior pela Unochapecó

Graduação em Direito pela Unoesc-Campus Chapecó

Advogada

Professora do Curso de Graduação e Pós-graduação em Direito

Helenice da Aparecida Dambrós Braun, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Mestre e doutoranda em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), professora do Curso de Direito da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ), Chapecó (SC).

Referências

AMARAL JUNIOR, Ilmar Pereira; SILVA, Alexandre Garrido. Direitos humanos na diversidade e aplicabilidade pela via da teoria do discurso. In: Horizonte Científico, vol. 5, n. 2, 2011. Disponível em:

< http://www.seer.ufu.br/index.php/horizontecientifico/article/view/8117>. Acesso em 01 mar. 2014.

ALEXY, Robert. Los derechos fundamentales y el principio de proporcionalidad. In: Revista Española de Derecho Constitucional. n. 91, enero-abril, 2011, p. 11-29. Disponível em: <http://www.osconstitucionalistas.com.br/los-derechos-fundamentales-y-el-principio-de-proporcionalidad>. Acesso em: 03 mar. 2014.

_____. Los derechos fundamentales em El estado constitucional democrático. In: CARBONELL, Miguel (org.) Neoconstitucionalismo(s). Ed. Por-Madri: Editorial Trotta, 2003.

ALTERIDADE. Wikipédia: a enciclopédia livre. Disponível em:<http://pt.wikipedia.org/wiki/Alteridade>. Acesso em: 01 maio 2013.

ANDRADE, Maria Inês Chaves de. A fraternidade como direito fundamental entre o ser e o dever ser na dialética dos opostos de Hegel. Coimbra: Almedina, 2010.

BAGGIO, Antonio Maria. A idéia de fraternidade em duas Revoluções: Paris 1789 e Haiti 1791. In: ¬_____. O princípio esquecido: A fraternidade na reflexão atual das ciências políticas. Tradução: Durval Cordas, Iolanda Gaspar, José Maria de Almeida. Vargem Grande Paulista, SP: Cidade Nova, 2008. 1 v., p. 25 – 55.

_____. A inteligência fraterna. Democracia e participação na era dos fragmentos. In: BAGGIO, Antônio Maria (Org.). O princípio esquecido: exigências, recursos e definições da fraternidade na política. São Paulo: Cidade Nova, 2009. 2 v., p. 85 – 130.

BERNHARD, Agnes. Elementos do conceito de fraternidade e de direito constitucional. In: CASO, Giovanni et al (Org.). Direito e fraternidade: ensaios, prática forense: Anais do Congresso internacional “relações no Direito: qual espaço para a fraternidade?”. São Paulo: Cidade Nova: LTr, 2008. p. 61-67.

BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. 28. ed. atual. São Paulo: Malheiros, 2013.

_____. Curso de direito constitucional. 6. ed. São Paulo, Malheiros, 1996.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] Republica Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal.

CARVALHO, Júlio Marino de. Os direitos humanos no tempo e no espaço. Brasília: Brasília Jurídica, 1998.

COSTA, Sérgio; WERLE, Denilson L. Reconhecer as diferenças: liberais comunitárias e as relações raciais no Brasil. Novos Estudos CEBRAP. São Paulo, v. 49, 10997, p. 159-178.

FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Direitos humanos fundamentais. 13. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

GROSSI, Paolo. O direito entre poder e ordenamento. Belo Horizonte: Del Rey, 2010. Tradução: Arno Dal Ri Júnior .

GUERRA FILHO, Willis Santiago. Direitos fundamentais, processo e princípio da proporcionalidade. In: Dos direitos humanos aos direitos fundamentais. GUERRA FILHO, Willis Santiago (Coord.); PEREIRA, Ana Claudia Tavora et al. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 1997.

LEAL, Rogério Gesta. Direitos humanos no Brasil: desafios à democracia. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 1997.

LUCAS, Doglas Cesar. Direitos humanos e interculturalidade: um diálogo entre a igualdade e a diferença. Ijuí: Unijuí, 2010.

MACHADO, Carlos Augusto Alcântara. A fraternidade como categoria Jurídico-constitucional. Revista eletrônica sobre a reforma do estado (RERE). Instituto Brasileiro de Direito Público. Salvador, n. 23, set./out./nov., 2010. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2011.

MAGALHAES, José Luiz Quadros de. A indivisibilidade dos direitos humanos. Disponível em: <http://infojur.ccj.ufsc.br>. Acesso em: 28 fev. 2013.

MENDES, Gilmar. A jurisdição constitucional no Brasil e seu significado para a liberdade e a igualdade. Disponível em:

http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/noticiaArtigoDiscurso/anexo/munster_port.pdf>. Acesso em: 07 mar. 2014.

MORAES, Alexandre de. Direitos humanos fundamentais: teoria geral: comentários aos arts. 1º a 5º da constituição da república federativa do Brasil doutrina e jurisprudência. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

OLIVEIRA, Vitor Eduardo Tavares de. Breves considerações sobre direitos humanos fundamentais e a supranacionalidade. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/revista/rev_77/artigos/Vitor-rev77.htm>. Acesso em: 07 mar. 2014.

PIERUCCI, Antonio Flavio. Ciladas da diferença. Tempo Social. Revista de Sociologia. USP, S. Paulo, 2(2): 7-33, 2.sem. 1990

RESTA, Eligio. O direito fraterno. Tradução: Sandra Regina Martini Vial. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos direitos fundamentais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Por uma concepção multicultural de direitos humanos. In: SANTOS, Boaventura de Sousa (Org.). Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

_____. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006.

TOSI, Giuseppe. A fraternidade é uma categoria política? In: BAGGIO, Antonio Maria (Org.). O princípio esquecido: exigências, recursos e definições da fraternidade na política. São Paulo: Cidade Nova, 2009. 2 v., p. 43 – 64.

TOURAINE, Alain. Igualdade e diversidade: o sujeito democrático. Tradução: Modesto Florenzano. Bauru (SP): EDUSC, 1998.

TOURAINE, Alain. Iguais e diferentes poderemos viver juntos? Tradução: Carlos Aboim de Brito. Lisboa: Instituto Piaget, 1997.

VERONESE, Josiane Rose Petry; OLIVEIRA, Olga Maria Boschi Aguiar de (Org.). Direitos na pós-modernidade: a fraternidade em questão. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2011. p. 19 - 32.

WOLTON, Dominique. Informar não é comunicar. Tradução: Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina, 2011.

WOLKMER, Antonio Carlos. Pluralismo jurídico, direitos humanos e interculturalidade. Revista Sequência, n. 53, p. 113-128, dez 2006.

Downloads

Publicado

20-11-2014

Como Citar

Langoski, D. T., & Braun, H. da A. D. (2014). RESSIGNIFICAÇÃO DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS SOB O PRISMA DO MULTICULTURALISMO E DA FRATERNIDADE. Unoesc International Legal Seminar, 1159–1176. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/uils/article/view/4366

Edição

Seção

Direitos Fundamentais Sociais