RESILIÊNCIA NO TRABALHO: REVISÃO INTEGRATIVA DE PUBLICAÇÕES NACIONAIS E INTERNACIONAIS DE 2000 A 2015

  • Thaís Cristina Farsen Programa de Pós-Graduação em Psicologia Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
  • Aline Bogoni Costa UNOESC UFSC - Laboratório de Psicologia Positiva
  • Narbal Silva Curso de Graduação e Pós-Graduação em Psicologia Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Resumo

A noção de resiliência no trabalho tem sido adotada com o intuito de esclarecer sobre os modos subjetivos para se lidar com mudanças e rupturas nos contextos contemporâneos do trabalho e das organizações. Este trabalho refere-se a uma revisão das produções científicas sobre resiliência no trabalho, realizada com o objetivo de contextualizar histórica e epistemologicamente o constructo e compreender os conteúdos das publicações científicas nacionais e internacionais acerca do tema, com recorte temporal de 2000 a 2015. Utilizou-se o método de revisão integrativa, partindo-se da busca por publicações em base de dados nacionais e internacionais no período, que totalizaram 316 publicações científicas, das quais 25 foram selecionadas e analisadas. A categorização e análise dessas publicações contemplou informações referentes às compreensões etimológicas e à origem científica, além da identificação de definições constitutivas do tema. Verificou-se que o estudo da resiliência no trabalho é recente e escasso se comparado ao estudo do fenômeno em outros contextos, como com crianças, adolescentes e famílias. As publicações analisadas, em geral, destacam bibliografias relacionadas à Psicologia Positiva, compreendendo o fenômeno como facilitador de bem-estar, qualidade de vida e saúde no trabalho, porém, contraditoriamente, enfatizam comportamentos reativos e negativos nos contextos investigados. Evidenciou-se, ainda, que a resiliência aparece como uma competência a ser alcançada pelos trabalhadores (responsabilidade do trabalhador), mas pouco incentivada pelas organizações. Tais descobertas fomentam os seguintes questionamentos: a resiliência se caracteriza como fenômeno possível à dinâmica das relações de trabalho contemporâneas? Ou estaria contribuindo para camuflar as psicopatologias do trabalho, responsabilizando, de modo unilateral, o trabalhador não resiliente? Desse modo, constatou-se que há lacunas teóricas e metodológicas, principalmente no que se refere a como ocorre a construção de comportamentos resilientes, o que vem colaborar com a necessidade de construção de conhecimentos sobre o tema e apontar a oportunidade de estudos futuros.

Palavras-chave: Resiliência no trabalho. Revisão integrativa de literatura. Psicologia do trabalho e das organizações.

Biografia do Autor

Thaís Cristina Farsen, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
Psicóloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina, onde atualmente cursa mestrado em Psicologia e pesquisa temas como resiliência no trabalho e criatividade, além de atuar como pesquisadora no Laboratório de Psicologia Positiva nas Organizações e no Trabalho (LAPPOT).
Aline Bogoni Costa, UNOESC UFSC - Laboratório de Psicologia Positiva
Graduada em Administração de Empresas (2005), pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Psicóloga (2008), Mestre em Psicologia (2009) e Doutora em Psicologia (2015), pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pesquisas vinculadas à linha de Práticas Sociais e Constituição do Sujeito. Professora do Curso de Psicologia na UNOESC. Áreas de experiência e interesse: Orientação Profissional e para a Aposentadoria, Psicologia do Trabalho, Psicologia Positiva, Psicologia Social.
Narbal Silva, Curso de Graduação e Pós-Graduação em Psicologia Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
Graduado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1984), Especialista em Psicologia Organizacional e do Trabalho (Título conferido pelo Conselho Federal de Psicologia), Mestrado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (1990) e Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001). Pós Doutorado em Psicologia Positiva nas Organizações, no Trabalho e em outros Espaços de Vida, no Programa de Pós Graduação em Psicologia - Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Laboratório de Mensuração/Divisão de Psicologia Positiva - Atualmente é professor Associado III do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina. Coordenador da Área I, Psicologia das Organizações e do Trabalho, do Programa de Pós Graduação em Psicologia (PPGP) da Universidade Federal de Santa Catarina - Membro efetivo do GT/POT, grupo de trabalho e pesquisa na ANPPEP (Associação Nacional dos Programas de Pós Graduação em Psicologia).
Publicado
26-08-2016