ARTE E MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO BÁSICA

Autores

  • Sueli Perazzoli Trindade UNOESC
  • Elenice Schuler UNOESC
  • Ana Lúcia Moura UNOESC
  • Angela Maria Soares UNOESC
  • Estela Maris Albuquerque UNOESC
  • Regina Silva de Oliveira UNOESC
  • Sonia Maria Marmentini Borges UNOESC

Resumo

Introdução: Em virtude da existência de um modelo de ensino e aprendizagem fragmentado que isola o objeto do seu contexto natural e, além disso, está organizado na separação e na acumulação de saberes, torna-se importante a religação das disciplinas e a contextualização da singularidade para a construção do conhecimento significativo. Para tanto é necessário ter como princípio a transformação e a transposição nas fronteiras do conhecimento, por meio da organização que liga os saberes em sua diversidade contextual. A interdisciplinaridade surgiu no final do século XX, a partir da necessidade de justificar a fragmentação causada por uma epistemologia positivista. Considerada pela ciência da educação uma relação interna entre a disciplina matriz e a disciplina aplicada, a interdisciplinaridade passou a ser um termo aceito na educação por ser vista como uma forma de pensamento. Observa-se, então, que a interdisciplinaridade gera uma troca de dados, resultados, informações e métodos. Nesta perspectiva, transcende à justaposição das disciplinas. Contudo, para desenvolver a interdisciplinaridade, não basta escolher um tema e convocar duas ou três ciências, e sim criar um objeto novo que não pertença a ninguém. Portanto, é uma forma de interação, onde ocorre uma espécie de integração de vários saberes num contexto mais amplo, gerando a interpretação holística dos fatos e dos fenômenos. Objetivo: Diante do exposto, o presente estudo teve como objetivo identificar a interdisciplinaridade nos processos do ensino e da aprendizagem no ensino médio por meio da arte e matemática. Metodologia: Considera-se que as atividades do ensino desenvolvidas de forma interdisciplinar oportunizaram a interação efetiva do aluno, dando-lhe oportunidade de vez e voz, como, também, autonomia e criticidade nas ações do cotidiano escolar. Ao estudar o conteúdo de matemática com vistas para as figuras planas, os alunos do 3º ano do Ensino Médio Inovador (EMI), na Escola estadual, conheceram a biografia do artista Piet Mondrian e as obras de arte, identificaram as cores, o estilo de pintura e o uso das linhas e formas presentes na composição plástica por meio da leitura de imagens contextualizada. Resultados: Dessa forma, o aluno realizou um percurso crítico e estético para a compreesão das obras de arte com os fatos históricos, sociais e culturais, com a história da arte, com a biografia do artista e com a técnica pictórica, juntamente com o conteúdo de matemática. As práticas pedagógicas aplicadas nesse estudo são compatíveis com o conteúdo de arte e de matemática e, também, com as outras áreas do conhecimento. A conexão entre as disciplinas dialoga entre as partes com o todo, consequentemente, o aluno aprende que os conteúdos têm sua especificidade, porém, existe um diálogo entre ambos que possibilitam a construção do conhecimento. Assim, os alunos iniciaram as atividades propostas a partir das obras de arte de Piet Mondrian. Observaram os aspectos estéticos e técnicos, pontos relevantes que proporcionaram o desenvolvido pelo potencial criador do aluno, por meio da leitura, fruição e produção com os elementos visuais e os conceitos matemáticos dos polígonos, consequentemente, compreenderam as medidas das arestas e o cálculo da área da superfície das figuras planas presentes nas produções artísticas. Conclusão: Na concepção dos alunos, das bolsistas e da comunidade escolar considerou-se o projeto relevante, pois a interdisciplinaridade nas práticas pedagógicas possibilita a interlocução dos alunos, melhora na produção textual e na compreensão da matemática, como também na retenção da aprendizagem significativa, uma vez que todo o conhecimento desenvolvido em sala de aula é contextualizado. A valorização da diversidade entre os seres humanos se torna primordial nas ações interdisciplinares, ou seja, ultrapassando os limites das ciências, sem infringir ou adulterar a essência de cada um. A construção do conhecimento centraliza-se em ambientes colaborativos, possibilitando a criticidade, autonomia, questionamento, contribuições e interpretações, com vistas à interdisciplinaridade como proposta nos processos do ensino e da aprendizagem dos alunos na educação básica.

Palavras-chave: Arte. Matemática. Educação. Interdisciplinaridade. Aprendizagem.

 

Biografia do Autor

Sueli Perazzoli Trindade, UNOESC

Coordenadora de Àrea do subprojeto do curso de Artes Visuais

Elenice Schuler, UNOESC

Supervisora do subprojeto do curso de Artes Visuais.

Ana Lúcia Moura, UNOESC

Bolsista do subprojeto do curso de Artes Visuais.

Angela Maria Soares, UNOESC

Bolsista do subprojeto do curso de Artes Visuais.

Estela Maris Albuquerque, UNOESC

Bolsista do subprojeto do curso de Artes Visuais

Regina Silva de Oliveira, UNOESC

Bolsista do subprojeto do curso de Artes Visuais

Sonia Maria Marmentini Borges, UNOESC

Bolsista do subprojeto do curso de Artes Visuais.

Referências

BARBOSA. Ana. Mae. A imagem no ensino da arte. São Paulo: Perspectiva, 1991

___________ Arte-Educação no Brasil: das origens ao modernismo. São Paulo: Perspectiva, 1978

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática. São Paulo: Paz e Terra, 1996

GADOTTI, Moacir. Interdisciplinaridade: atitude e método. São Paulo: Instituto Freire, 2004

HERNANDEZ, Fernando. Catadores da Cultura Visual. Proposta para uma nova narrativa educacional. Porto Alegre: Mediação,2007 JAPIASSU, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago,1976

Downloads

Publicado

2015-11-20

Como Citar

Perazzoli Trindade, S., Schuler, E., Moura, A. L., Soares, A. M., Albuquerque, E. M., Silva de Oliveira, R., & Marmentini Borges, S. M. (2015). ARTE E MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seminário Institucional Do Pibid - Anais eletrônicos. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/sipae/article/view/9228

Edição

Seção

Resumos