CONTAR HISTÓRIAS É UMA ARTE

Autores

  • Teresinha Pellicioli Deitos UNOESC
  • Lilian Aparecida Dorini
  • Elinete Mores
  • Elizete Silva
  • Maria Sedeni H. de Souza Duarte
  • Indianara de Vargas Schneider
  • Mirian j. Ramos Machjewski

Resumo

Introdução: Contar histórias é histórico, muito antes de se existir um alfabeto já havia formas de comunicação entre sociedades humanas. Com o tempo, o homem começou a codificar símbolos e, hoje, interpreta textos, informações e fatos. As escolas desempenham um papel fundamental de ensinar por meio do lúdico e, entre tantas formas, contar histórias é a mais antiga e eficaz delas, pois quando se contam ou se ouvem histórias também é possível associar a fantasia à realidade e tirar conclusões reflexivas sobre o assunto, desse modo, cada um cria um jeito de construir seu conhecimento. Objetivos: Contar histórias em seus diversos gêneros literários oportunizando ler e ouvir, a fim de desenvolver a expressão oral, corporal e escrita como ferramenta de comunicação, de interpretação, análise e releitura de literaturas para a construção de conclusões próprias. Metodologia: O trabalho foi desenvolvido na Escola Municipal Dr. Vilson Pedro Kleinübing, Capinzal, SC, com alunos de 3º ao 5º ano, 9 turmas, 180 alunos do período matutino dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Utilizou-se formas diferenciadas de contar histórias, entre elas a dramatização teatral, fantoches, palitoches, vídeo (elaborado pelos bolsistas do PIBID) sobre a obra Exercício de ser criança, televisão literária, e em todas as apresentações envolveu-se o lúdico, incentivando assim a boa convivência em sociedade e o espírito de equipe. Resultados: O trabalho mostrou às bolsistas o quanto é importante à escola aliar forças para concretizar seu verdadeiro papel na sociedade, que é de formar cidadãos, mas não aqueles que sabem apenas ler e escrever e sim aqueles que sabem interpretar e criar coisas novas aos alunos. O trabalho desenvolvido pelo PIBID ajuda em sala de aula na melhora da concentração dos educandos, notou-se, também, um aumento significativo na criatividade dos alunos, e ainda se pôde contemplar um aumento no respeito entre os membros da escola, principalmente, na hora do recreio. Conclusão: O papel principal da escola é formar para a vida social, ou formar cidadãos, em geral, que sejam críticos e capazes de modificar a realidade em que vivem. A leitura e a contação podem ser o caminho mais rápido para que se concretize esse objetivo, pois uma só história pode mudar vidas, o gosto por ela faz os seres humanos serem amantes do mundo, de suas situações cotidianas e do saber possível que nela está difundido. Ler é interpretar aquilo que rodeia a vida, e contar é muito mais que repassar uma informação, é ter a oportunidade de transformar pensamentos na arte de sua própria história.

Palavras-chave: Incentivo à leitura. Arte. Contação de histórias.

Downloads

Publicado

2015-11-20

Como Citar

Pellicioli Deitos, T., Dorini, L. A., Mores, E., Silva, E., de Souza Duarte, M. S. H., de Vargas Schneider, I., & j. Ramos Machjewski, M. (2015). CONTAR HISTÓRIAS É UMA ARTE. Seminário Institucional Do Pibid - Anais eletrônicos. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/sipae/article/view/8976

Edição

Seção

Resumos