[1]
D. Welchen e T. L. Beneti, “A NECESSIDADE DA SIMPLIFICAÇÃO DA LINGUAGEM JURÍDICA E O ACESSO À JUSTIÇA”, SIEPE, p. 79, ago. 2014.