INFLUÊNCIA DA HEMODIÁLISE NA CONCENTRAÇÃO PLASMÁTICA DA ADENOSINA DEAMINASE EM PACIENTES COM DOENÇA RENAL CRÔNICA

Autores

  • João Murilo C. Vieira
  • Eduardo O. Chielle
  • Prcislia Cristina Duarte

Resumo

No decorrer dos últimos anos, houve um aumento significativo nas internações e nos tratamentos decorrentes de complicações renais que resultaram, consequentemente, no aumento de pacientes sujeitos a diálise. A adenosina deaminase (ADA) atua como enzima mediadora na formação de algumas células de defesa do organismo, sendo, portanto, marcadora de processos inflamatórios. O objetivo deste trabalho foi avaliar biomarcadores da função renal e ADA sérica de pacientes em hemodiálise. Amostras de sangue foram coletadas de 80 pacientes – 40 mulheres e 40 homens – entre 19e 60 anos, antes e após a realização da hemodiálise. Houve diferença significativa nas dosagens de creatinina, ureia e ADA no pré e pós-hemodiálise (p<0,0001). Observou-se aumento significativo da ADA no pós-hemodiálise independentemente do sexo, no entanto houve aumento considerável nos homens. Os resultados mostraram redução nos parâmetros de ureia e creatinina, evidenciando o propósito principal da hemodiálise. Por meio deste estudo sugere-se que a determinação da atividade da ADA pode ser utilizada para monitorar o processo inflamatório de pacientes em hemodiálise, contudo estudos mais amplos e específicos são necessários para mostrar a eficiência da dosagem de ADA sérica como marcador inflamatório para pacientes com doença renal crônica.

Palavras-chave: adenosina deaminase; hemodiálise; ureia; creatinina; renal.

 

Downloads

Publicado

08-09-2015

Como Citar

C. Vieira, J. M., Chielle, E. O., & Duarte, P. C. (2015). INFLUÊNCIA DA HEMODIÁLISE NA CONCENTRAÇÃO PLASMÁTICA DA ADENOSINA DEAMINASE EM PACIENTES COM DOENÇA RENAL CRÔNICA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/8491

Edição

Seção

São Miguel do Oeste - Pesquisa