QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UM ESTUDO DAS TRABALHADORAS DA INDÚSTRIA METALMECÂNICA NO MEIO-OESTE DE SANTA CATARINA

  • Gabriela Lunardelli Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Tania Maria dos Santos Nodari Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Rodrigo André Fernandes Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

 

A entrada da mulher no mercado de trabalho formal ocorreu mais intensamente a partir do século XIX para atender à necessidade da mulher de ampliar a renda familiar e à das organizações, além do desejo de desenvolver uma carreira. Atualmente, as mulheres estão presentes em diversos setores antes considerados essencialmente masculinos, como a construção civil, transportes e a indústria metalmecânica. O tema abordado neste trabalho é relevante, na medida em que quantifica as mulheres que estão atuando no setor em alguns municípios do Meio-Oeste de Santa Catarina, e analisa a qualidade de vida dessas trabalhadoras. Dessa forma, o objetivo geral foi analisar o nível de qualidade de vida das mulheres trabalhadoras no setor operacional das indústrias metalmecânicas do Meio-Oeste de Santa Catarina. Para atingir aos objetivos, como procedimentos metodológicos empregaram-se as abordagens qualitativa e quantitativa. Procurou-se conhecer os aspectos que norteiam e caracterizam a evolução da ocupação feminina no mercado de trabalho, bem como a qualidade de vida dessas mulheres. Também se realizou uma pesquisa de campo por meio da aplicação de um questionário estruturado com a finalidade de conhecer a realidade e as condições de trabalho dessas mulheres. Estão filiadas no Sindicato Patronal da Indústria Mecânica (Sindimec) 27 empresas, e identificaram-se mulheres trabalhando no setor produtivo em 11 delas. Ao contatar (por e-mail) essas empresas, obteve-se o retorno de sete, as quais se dispuseram a participar da pesquisa. Foi estabelecida uma linha de corte e no total foram entrevistadas 101 trabalhadoras de cinco empresas localizadas em Joaçaba, Treze Tílias, Herval d’Oeste e Luzerna. Os resultados da pesquisa apontam que a maioria das entrevistadas trabalha na linha de produção e somente uma ocupa cargo de chefia. Em relação aos salários, as mulheres recebem, no mínimo, o salário-base da categoria, mas dizem que poderiam ganhar mais. Um dado importante revelado é que elas não se sentem discriminadas e não sofrem assédio por parte dos trabalhadores homens. Elas também consideram o ambiente de trabalho limpo, organizado e com boa iluminação e segurança. A pesquisa revela que, apesar de a maioria das mulheres entrevistadas não relatar situações de discriminação ou insalubres no trabalho e ter uma qualidade de vida considerada boa, elas gostariam de ganhar mais e ter mais oportunidades de crescimento profissional dentro das organizações.

Palavras-chave: Qualidade de vida. Mulher e trabalho. Setor metalmecânico. Discriminação.

 

Biografia do Autor

Gabriela Lunardelli, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Aluna do Curso de Administração da Unoesc. gabilunardelli@yahoo.com.br
Tania Maria dos Santos Nodari, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Doutora em Ciências Sociais (UNiversidade Pablo de Olavide de Sevilla), Mestre em Administração Moderna de Negócios (FURB), Especialista em Gestão de Recursos Humanos (Unoesc). Professora e coordenadora de cursos de graduação e pós graduação da Unoesc-Joaçaba. Co-editora da Revista Unoesc & Ciência.
Rodrigo André Fernandes, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Especialista em Metodologia do Ensino na Educação Superior pelo Centro Universitário Internacional; Especialista em Gestão de Projetos com ênfase no PMI pelo Centro Universitário Internacional; Professor da Área das Ci~encias das Humanidades  na Unoesc em Joaçaba; rodrigo.fernandes@unoesc.edu.br

Publicado
08-09-2015
Como Citar
Lunardelli, G., dos Santos Nodari, T. M., & Fernandes, R. A. (2015). QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UM ESTUDO DAS TRABALHADORAS DA INDÚSTRIA METALMECÂNICA NO MEIO-OESTE DE SANTA CATARINA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/8324
Edição
Seção
Joaçaba - Ensino