OLHARES SOBRE A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM: (CONTRA)PONTOS

Autores

  • Ulisses Junior Longhi Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc Xanxerê
  • Ademir Giraldello Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
  • João Carlos Pereira Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc Xanxerê

Resumo

A linguística, grosso modo, é o estudo científico da linguagem verbal humana. Ela, como hoje é concebida, aborda todas as modalidades de apreciação de fenômenos da língua(gem). Dentre esses fenômenos, tem-se a aquisição da linguagem. Essa capacidade humana de expressão e de interação sócio-verbal sempre provocou e inquietou estudiosos e pesquisadores da linguagem, assim como, notadamente, da cognição humana. Desse modo, neste trabalho se visou proporcionar uma visão panorâmica a respeito das principais abordagens de aquisição da linguagem (behaviorismo, gerativismo, construtivismo, interacionismo, conexionismo), com foco na noção de linguagem para cada teoria, bem como no processo de aquisição. A respeito da metodologia, o trabalho foi, quanto aos objetivos e às fontes de informações, uma pesquisa bibliográfico-exploratória, sendo a documentação indireta o principal instrumento de coleta de dados. O suporte teórico-epistemológico de estudo contou, entre outros, com autores como Skinner (1978), Chomsky (1988), Piaget (1959), Vygotsky (1987), Scarpa (2004), Mello (2005), Finger e Quadros (2008) e Pinker (2002). Por apreciação crítico-reflexiva desse estudo, infere-se que, das convergentes vias que levam à explanação da aquisição da linguagem, em certos pontos, encruzilham-se, divergem: umas consideram apenas a natureza (o inato), outras a criação (o ambiente) como determinantes na aquisição. Por conseguinte, fizeram-se necessários o concebimento e o discernimento das abordagens elementares que explicam a aquisição da linguagem, bem como a clareza de que uma não é melhor que a outra. Ambas elucidam um mesmo fenômeno, todavia de uma diferente perspectiva. Ademais, que está se chegando a uma síntese dessas teses e antíteses na área. Ou seja, acredita-se que tanto o inato quanto o adquirido, isto é, sua interação, são fatores cruciais na aquisição da linguagem.

Palavras-chave: Linguística. Teorias. Aquisição da Linguagem. 

Biografia do Autor

Ulisses Junior Longhi, Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc Xanxerê

Professor mestre em Linguística (UFSC), atuando em vários cursos da Unoesc Xanxerê, com diferentes componentes curriculares

Ademir Giraldello, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

Mestrando em Estudos Linguísticos pela UFFS

João Carlos Pereira, Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc Xanxerê

Graduando em Letras - Língua Portuguesa

Downloads

Publicado

08-09-2015

Como Citar

Longhi, U. J., Giraldello, A., & Pereira, J. C. (2015). OLHARES SOBRE A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM: (CONTRA)PONTOS. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/8243

Edição

Seção

Xanxerê - Pesquisa