VARIAÇÃO DO TEMPO DE AGITAÇÃO E CONCENTRAÇÃO DE NaOH PARA A CARACTERIZAÇÃO DA TEXTURA DE SOLOS DA REGIÃO OESTE DE SANTA CATARINA

Autores

  • Mauricio Vicente Alves Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Pricila Delazeri Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

A análise granulométrica de um solo consiste na determinação da distribuição do tamanho das partículas em classes denominadas areia, silte e argila. Trata-se de uma característica de extrema importância para as propriedades físicas, biológicas e químicas de um solo, com aplicações práticas nos estudos, erosão, adsorção de nutrientes como o caso do fósforo e pesticidas. O objetivo neste estudo foi testar o efeito de diferentes dispersores e tempos de agitação em quatro solos da região Oeste de Santa Catarina, sobre os seus efeitos na granulometria. Coletaram-se amostras de um Cambissolo Húmico no Município de Ponte Serrada e Organossolo Háplico, Latossolo Vermelho e Nitossolo Vermelho no Município de Xanxerê, amostrando-se os horizontes “A” do Cambissolo e do Organossolo e os horizontes “B” do Latossolo e do Nitossolo. O método para a avaliação da textura foi o do densímetro, no qual se testou a variação do tempo de agitação (4, 8, 12, 16, 24 e 30 horas) e a variação nas concentrações de dispersantes químicos (NaOH: 0,1; 0,5; 1 e 2 mol) em 16 horas de agitação. Os dados obtidos foram submetidos à análise regressão com o programa estatística R. Para o Cambissolo, no tempo de agitação de 22h52min ocorreu a estabilização do teor de argila e para o Latossolo se encontrou o tempo de 31h28min. Já para o Organossolo, não se observou um tempo adequado e o Nitossolo não foi influenciado pelos tempos de agitação. No teste com concentrações de dispersantes químicos (NaOH) o Latossolo teve estabilização do teor de argila em 1,69 mol e o Nitossolo em 0,6 mol. No entanto, o Cambissolo e o Organossolo não apresentaram estabilização do teor de argila. A partir dos dados obtidos nesse experimento, sugerem-se maiores estudos para os Organossolos e os Cambissolos, variando mais tempos de agitação e mais concentrações de NaOH.

Palavras-chave: Granulometria. Cambissolo. Organossolo. Latossolo. Nitossolo.

Biografia do Autor

Mauricio Vicente Alves, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Eng. Agrônomo, Prof. Dr. do curso de Agronomia e Enganaria Florestal da Unoesc  - Xanxerê.

Pricila Delazeri, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Tecnóloga em Gestão Ambiental; Graduanda em Engenharia Florestal, Unoesc - Xanxerê.

Downloads

Publicado

08-09-2015

Como Citar

Alves, M. V., & Delazeri, P. (2015). VARIAÇÃO DO TEMPO DE AGITAÇÃO E CONCENTRAÇÃO DE NaOH PARA A CARACTERIZAÇÃO DA TEXTURA DE SOLOS DA REGIÃO OESTE DE SANTA CATARINA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/7822

Edição

Seção

PIBITI - CNPq