PICO DE VELOCIDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CATEGORIA SUB 15 DA CHAPECOENSE NO PERÍODO COMPETITIVO

Autores

  • Patrick Zawadzki Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Vinícius Leal da Silva Acadêmico do Curso e Bolsista do Grupo de Pesquisa do Curso de Educação Física, da Unoesc, Campus Chapecó
  • Marcos Antônio Cezar
  • Carlos Miguel Porto Almeida
  • Daniela Zanini
  • Paulo Pagliari
  • Iully Anne Lermen Colossi
  • Suani Marquesan Figueira
  • Natali Sirino
  • Fernanda Souza
  • Dirceu Junior Barp
  • Cleisa Gazola

Resumo

Uma variável que tem sido muito estudada para explicar de forma ampla o desempenho aeróbio de atletas é a máxima velocidade alcançada em testes incrementais, ou seja, o pico de velocidade (PV). O PV é a máxima velocidade alcançada pelo atleta no momento em que finaliza o teste. A partir do PV podemos avaliar os sistemas aeróbios e anaeróbios de fornecimento de energia e, assim, usá-lo como parâmetro para a avaliação da aptidão física em atletas praticantes de esportes intermitentes. O principal objetivo neste estudo foi avaliar o PV de uma equipe (n=24) de futebol categoria sub 15 de Chapecó, SC, no período competitivo. Foi realizado o teste máximo de corrida intermitente T-CAR; trata-se de um teste intermitente escalonado, com multiestágios de 90s de duração, em sistema de ida e volta, constituído por 5 repetições de 6s de corrida com distâncias incrementais e por 6s de pausa. O teste é guiado por sinal sonoro em intervalos de 6s, que determinam a velocidade de corrida a ser desenvolvida entre as linhas demarcadas por cones. O teste inicia em 9,0 km/h com distância de 15m, com incrementos de 0,6 km/h a cada estágio, até a exaustão voluntária mediante aumentos sucessivos de 1m a partir da distância inicial. Os participantes foram divididos em grupos de oito para a avaliação. Os instrumentos utilizados foram cones, pratos chineses, uma fita métrica, uma caixa de som (Oneal Professional Multiuse, modelo COM 126), uma corda e material de escritório. A variável de estudo foi o PV, variável essa que foi obtida no último estágio que os participantes alcançaram após a exaustão voluntária. A análise de dados procedeu de forma descritiva, com os testes de média e desvio padrão. Os principais resultados obtidos mostram para o grupo uma média para PV de 15,80 Km.h-1 (dp= 0,69), podendo, assim, classificar o status de performance do grupo como “bom”. Assim, concluiu-se que a determinação desses índices é de suma importância, tanto para a equipe participante deste estudo quanto para outras equipes, pois qualifica ainda mais o esporte e ressalta a importância do profissional de educação física no campo do treinamento desportivo.

Palavras-chave: Futebol. Treinamento desportivo. Testes incrementais de campo. Pico de velocidade. Aptidão física.

Biografia do Autor

Patrick Zawadzki, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Doutorando em Educaçao Física, Atividade Física e Esporte pela Universidade de Barcelona.

Professor da UNOESC-Chapecó.

Vinícius Leal da Silva, Acadêmico do Curso e Bolsista do Grupo de Pesquisa do Curso de Educação Física, da Unoesc, Campus Chapecó

Acadêmico do Curso e Bolsista do Grupo de Pesquisa do Curso de Educação Física, da Unoesc, Campus Chapecó

Downloads

Publicado

08-09-2015

Como Citar

Zawadzki, P., Leal da Silva, V., Cezar, M. A., Porto Almeida, C. M., Zanini, D., Pagliari, P., Lermen Colossi, I. A., Marquesan Figueira, S., Sirino, N., Souza, F., Barp, D. J., & Gazola, C. (2015). PICO DE VELOCIDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CATEGORIA SUB 15 DA CHAPECOENSE NO PERÍODO COMPETITIVO. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/7766

Edição

Seção

Chapecó - Extensão