PRODUÇÃO DE SOLO-CIMENTO (TIJOLO ECOLÓGICO) UTILIZANDO RESÍDUO DO POLIMENTO DE GRÊS PORCELANATO COMO FONTE DE SÍLICA

Autores

  • Robbin Alex Reyes Zanotti
  • Jean Carlo Salomé dos Santos Menezes

Resumo

As cerâmicas porcelânicas sinterizadas, conhecidas como porcelanatos, são uma classe de produtos cerâmicos utilizados para revestimentos. As indústrias de revestimentos cerâmicos do tipo porcelanato geram aproximadamente 300 g.m-2 de resíduo proveniente do seu polimento. Somente uma empresa produtora de porcelanatos na região de Criciúma produz 36 milhões de m2/ano de porcelanatos, o que resulta em uma produção de aproximadamente 1000 t/mês de resíduo rico em feldspato alcalino resultante do polimento dos porcelanatos produzidos (KUMMER et al., 2005; BRISTOT, 2010). Esses resíduos podem ser enquadrados na classificação de resíduo sólido IIa (ABNT, 2004), devendo ter um tratamento e destinação controlados. Os resultados obtidos demonstram que as fases majoritárias são os óxidos de silício e silício-alumínio, também apresentando um pico para um feldspato de potássio, apontando que o material pode apresentar um potencial de geração de alcalinidade e as fases predominantes são as desejadas para a produção do solo-cimento (tijolo ecológico). A análise de fluorescência de raios-x indica que o material apresenta como componentes majoritários os elementos Alumínio e Silício, também apresenta uma concentração considerável de potássio, o que indica seu potencial como substituto da areia na fabriacação de solo-cimento (tijolos ecológicos). Tijolos estão no momento sendo produzidos e serão analisados de acordo com as normas brasileiras de qualidade (ABNT).

Palavras-chave: Porcelanato. Resíduos sólidos. Tijolos ecológicos.

Downloads

Publicado

29-08-2014

Como Citar

Reyes Zanotti, R. A., & Menezes, J. C. S. dos S. (2014). PRODUÇÃO DE SOLO-CIMENTO (TIJOLO ECOLÓGICO) UTILIZANDO RESÍDUO DO POLIMENTO DE GRÊS PORCELANATO COMO FONTE DE SÍLICA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, 14. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/5795

Edição

Seção

PIBITI - CNPq