DESENVOLVIMENTO URBANO DE JOAÇABA, SC

Autores

  • Daiane Regina Valentini Arquiteta e Urbanista - Mestre em Geomática – Professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UNOESC Xanxerê - CAU BR A51414-4.
  • Luana Paula Bennemann Graduanda em Arquitetura e Urbanismo – Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC) / Campus Xanxerê (SC).
  • Rogério Antonio Carneiro Graduando em Arquitetura e Urbanismo – Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC) / Campus Xanxerê (SC).
  • Leila Dassi Graduanda em Arquitetura e Urbanismo – Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC) / Campus Xanxerê (SC).
  • Laiane Daise Faita Graduanda em Arquitetura e Urbanismo – Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC) / Campus Xanxerê (SC).
  • Luam Massoni Graduando em Arquitetura e Urbanismo – Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC) / Campus Xanxerê (SC).

Resumo

O crescimento não planejado e intenso das cidades é o responsável pela maioria dos problemas urbanos, e entre eles estão as ocupações irregulares e o desrespeito às formações hidrográficas. Joaçaba, cidade do Meio Oeste Catarinense, exemplifica negativamente o aspecto de ocupação às margens do Rio do Peixe e Rio do Tigre, que compõem uma das bacias hidrográficas mais importantes do estado. A ocupação urbana do Município iniciou-se a partir da atual Avenida XV de Novembro em forma radial de expansão, pela margem esquerda do Rio do Tigre, que a seguir gerou a ocupação em vias do seu entorno. As principais edificações destinaram-se a residências, comércios, hospedagem, moinhos de trigo e edificações de caráter institucionais. Um dos primeiros bairros a surgir foi o Santa Tereza, às margens de córregos que desembocavam no Rio do Peixe. Essa expansão territorial urbana teve como causa a localização de equipamentos urbanos e empresas de grande porte em seu entorno. Com seu crescimento, Joaçaba teve a necessidade de direcionar novos eixos de expansão, visto que estes foram definidos pelo estabelecimento de empresas, bem como a Universidade que, consequentemente, passam a definir o perímetro urbano do Município. Por meio de dados obtidos junto à Prefeitura Municipal, referências bibliográficas e mapeamentos da região, realizou-se um diagnóstico da ocupação urbana. A partir de uma análise dos principais resultados obtidos, percebe-se que as declividades e as faixas de proteção dos rios foram determinantes no processo de ocupação, definindo o desenho da cidade por intermédio de continuidades pelos vales e por planos topográficos diferenciados. Contudo, a ausência de um código ambiental a respeito da ocupação sobre os leitos dos rios hoje se torna a principal problemática do meio urbano, pelo fato de essas empresas, as mesmas que definiram o crescimento da cidade, estarem em locais inadequados e alagadiços, praticamente sobre a área de preservação ambiental dos rios. Assim, torna-se como diretriz a realização de estudos mais profundos que podem ser aplicados no antigo traçado urbano para a melhoria da qualidade de vida, principalmente em regiões em conflito com a hidrografia existente.

Palavras-chave: Joaçaba. Expansão urbana. Hidrografia.

Downloads

Publicado

2014-08-29

Como Citar

Valentini, D. R., Bennemann, L. P., Carneiro, R. A., Dassi, L., Faita, L. D., & Massoni, L. (2014). DESENVOLVIMENTO URBANO DE JOAÇABA, SC. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, 380. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/5762

Edição

Seção

Xanxerê - Ensino