O USO DE ERVAS MEDICINAIS NO OESTE DE SANTA CATARINA: TRANSMISSÃO DE CONHECIMENTO ENTRE AS GERAÇÕES

Autores

  • Elisangela Bini Dorigon UNOESC
  • Catiane Santos de Oliveira Bueno Unoesc-Xanxerê-SC
  • Amanda Modesti Unoesc-Xanxerê-SC
  • Camila Girotto Unoesc-Xanxerê-SC
  • Mateus Fracasso Unoesc-Xanxerê-SC
  • Tainara Rodigheri Unoesc-Xanxerê-SC
  • Tatiane Oliveira Unoesc-Xanxerê-SC

Resumo

As plantas medicinais foram o principal recurso médico por muito tempo na história da humanidade, sempre repassado de pais para filhos. O objetivo da pesquisa foi verificar quais foram os conhecimentos transferidos, de três gerações, relacionados às plantas medicinais. O trabalho foi realizado nos Municípios de Xanxerê, Entre-Rios e Jupiá, SC, envolvendo entrevistas com moradores da comunidade, levantando informações sobre plantas medicinais que os grupos apresentam e como adquiriram esse conhecimento. As entrevistas foram feitas com roteiro fechado, aplicadas em três gerações: a geração mais experiente que reside nos municípios desde o período da emancipação, (aproximadamente 60 anos), os frutos dessa geração, filhos(as) dos que participaram da fase de emancipação (40 anos (+ 5 anos)), e a geração menos experiente (aproximadamente 20 anos). Foram entrevistados todos os identificados que, após a apresentação da pesquisa e do termo de consentimento livre e esclarecido, aceitaram participar. Para os resultados parciais, será apresentada apenas a geração que compreende a terceira idade. Foram entrevistadas 53 pessoas (68% homens), com idade média de 65,9 anos. Verificou-se que 70% dos entrevistados são analfabetos ou não concluíram o quinto ano do ensino fundamental. Apresentam em média 3,8 filhos por entrevistado, visto que 79% possuem netos e 34% bisnetos. Destes, 74% disseram conversar com seus filhos e netos sobre plantas medicinais. Em relação à saúde dos entrevistados, o índice de massa corporal (IMC) médio é de 26,85. Dos participantes, apenas 23% disseram não possuir nenhum problema de saúde, os demais citaram problemas como depressão, hipertensão, diabetes, etc. Em relação ao consumo de medicamentos, 33% disseram consumir algum tipo de medicamento diário, enquanto 93% disseram usar algum tipo de chá; apenas 22% consomem como medicamento. Nesse grupo de consumidores, 11% afirmaram consumir mais de um litro de chás por dia. O consumo das ervas medicinais está associado a orientações familiares (77% disseram que aprenderam com os pais e avós), 9% buscaram informações com profissionais da saúde e os demais buscaram dados com vizinhos e amigos.

Palavras-chave: Plantas medicinais. Consumo. Medicamento. Saúde.

Biografia do Autor

Elisangela Bini Dorigon, UNOESC

Biológa, especialista em fitossanidade, e em botânica; Mestre em Ciências da Saúde Humana.

Catiane Santos de Oliveira Bueno, Unoesc-Xanxerê-SC

Acadêmico do curso de Ciências Biológicas

Amanda Modesti, Unoesc-Xanxerê-SC

Acadêmico do curso de Ciências Biológicas

Camila Girotto, Unoesc-Xanxerê-SC

Acadêmico do curso de Ciências Biológicas

Mateus Fracasso, Unoesc-Xanxerê-SC

Acadêmico do curso de Ciências Biológicas

Tainara Rodigheri, Unoesc-Xanxerê-SC

Acadêmico do curso de Ciências Biológicas

Tatiane Oliveira, Unoesc-Xanxerê-SC

Acadêmico do curso de Ciências Biológicas

Downloads

Publicado

29-08-2014

Como Citar

Dorigon, E. B., Bueno, C. S. de O., Modesti, A., Girotto, C., Fracasso, M., Rodigheri, T., & Oliveira, T. (2014). O USO DE ERVAS MEDICINAIS NO OESTE DE SANTA CATARINA: TRANSMISSÃO DE CONHECIMENTO ENTRE AS GERAÇÕES. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, 448. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/5761

Edição

Seção

Xanxerê - Pesquisa