INFLUÊNCIA DE ÉPOCAS DE SEMEADURA NA PRODUTIVIDADE DA SOJA

Autores

  • Ana Luiza Meneghini UNOESC: Universidade do oeste de santa catarina
  • Gean Lopes da Luz
  • Renato Balena
  • Cristian Trevisan Giacomini
  • Tiago Luis Vivan
  • Ariel Rossett

Resumo

A pesquisa na busca por aumento de produtividade da cultura da soja acontece ano após ano. Com o objetivo de avaliar a ação do fotoperíodo e da soma térmica sobre a cultura da soja, foram realizados cultivos em três épocas de semeadura. O trabalho foi realizado em 2013/2014, em área localizada na Linha Pesqueiro de Baixo, Município de Xanxerê, SC, localizada a 26°50’01’’ de latitude Sul, 52°30’36’’ de longitude Oeste e 696 m de altitude. O solo é classificado como latossolo vermelho distrófico argiloso, a adubação de base utilizada foi dimensionada de acordo com o resultado da análise química do solo. As parcelas constituíam dimensões de 5x5 metros, com bordaduras de 0,5 metros em cada lado. O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso, com quatro repetições. As três épocas de semeadura foram 22 de outubro de 2013, 17 de novembro de 2013 e 11 de dezembro de 2013. No estádio fenológico R1 realizou-se amostragem de plantas aleatórias na parcela para a determinação da área foliar (AF), do índice de área foliar (IAF) e da massa seca da parte aérea das plantas. No estádio R8, determinaram-se as características de altura das plantas e a altura da inserção da primeira vagem. Os dados de massa de mil grãos e produtividade foram obtidos a partir dos grãos com teor de umidade de 13%. As plantas foram colhidas manualmente, cinco a oito dias após o estádio de desenvolvimento R8, debulhadas em trilhadeira estacionária, limpas com o auxílio de peneiras. Em Xanxerê as temperaturas médias normais nos meses de outubro a abril são, respectivamente, 17,5 °C, 19,2 °C, 20,7 °C, 21,2 °C, 21,3 °C, 20,3 °C e 17,5 °C. Dessa forma, a soma térmica diária (Graus/ dia) acumulada no cultivo da época 1, semeada em outubro, é menor que a soma térmica das épocas 2 e 3, semeadas em novembro e dezembro, respectivamente. Assim, o ciclo da época 1 se torna maior que o ciclo das outras épocas, resultando em plantas mais altas e com maior AF. Com resultado da maior AF se tem maior IAF nas primeiras épocas, que, por sua vez, representa maior área de captação de radiação solar e fotossíntese. Tal resultado reflete-se em maior produção de fotoassimilados, os quais foram alocados nos grãos, representando maior massa de mil grãos e maior produtividade. Nas épocas 2 e 3 a ocorrência da floração ocorreu em períodos de dias encurtando, com fotoperíodo menor que 13h30min. Portanto, além da temperatura do ar, o fotoperíodo também  influencia na redução do ciclo nessas épocas, promovendo efeito sobre o crescimento e a produtividade. A época de semeadura interferiu nas variáveis avaliadas, principalmente no rendimento. Portanto, o trabalho demonstra que com o atraso da época de semeadura ocorre um decréscimo na produtividade da cultura da soja.

Palavras-chave: Glycine max (L.) Merrill. Soma térmica. Fotoperíodo. Área foliar.

Biografia do Autor

Ana Luiza Meneghini, UNOESC: Universidade do oeste de santa catarina

Produção vegetal

Downloads

Publicado

2014-08-29

Como Citar

Meneghini, A. L., Lopes da Luz, G., Balena, R., Trevisan Giacomini, C., Vivan, T. L., & Rossett, A. (2014). INFLUÊNCIA DE ÉPOCAS DE SEMEADURA NA PRODUTIVIDADE DA SOJA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, 436. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/5759

Edição

Seção

Xanxerê - Pesquisa