FRUGIVORIA EM Trema micrantha (CANNABACEAE) EM UM FRAGMENTO FLORESTAL NO MUNICÍPIO DE SÃO MIGUEL DO OESTE, SANTA CATARINA

Autores

  • Adriano Dias de Oliveira
  • Rosana Aparecida Arenhardt Mariani

Resumo

A interação entre frugívoros e plantas, provavelmente, teve início a 300 milhões de anos, com subsequentes adaptações de ambas as partes, o que influenciou para que a frugivoria se tornasse um processo simbiótico muito importante tanto para as aves quanto para as plantas. O trabalho teve como objetivos avaliar a frugivoria em Trema micrantha em um fragmento florestal no Bairro São Sebastião no Município de São Miguel do Oeste; descrever a fenologia da espécie em estudo; observar a assembleia de frugívoros da espécie em estudo; e avaliar o potencial dos frugívoros como dispersores a partir do seu comportamento. O estudo foi realizado em um fragmento de Floresta Estacional Decidual, localizado no bairro São Sebastião no Município de São Miguel do Oeste, Extremo Oeste de Santa Catarina. Trema micrantha (L.) Blum., popularmente conhecida como grandiúva, pau-pólvora, pertence à família Cannabaceae. Foram amostrados sete indivíduos na borda do fragmento. As visitas ocorreram frequentemente durante o período de frutificação para observação da frugivoria, sendo realizadas durante manhã e tarde; pela manhã as observações eram de aproximadamente quatro horas, com início por volta das 6:30 a 7:00 horas (por ser o período de maior atividade das aves), e de duas a três horas de observação durante a tarde, com início a partir das 15:30 horas. Com um binóculo 7x35 mm e um gravador, foram anotados diversos dados como a visita à planta, a ave visitante, o tempo de visita, o número de frutos consumidos, e o comportamento alimentar utilizado pelas aves. Foram totalizados 82 horas de esforço amostral em Trema micranta, sendo registradas 236 visitas (completa e incompleta), distribuídas em 10 famílias, 23 gêneros e 30 espécies. No total, foram consumidos 1.307 frutos. A família com maior número de visitas foi Thraupidae, com 119, seguida da família Turdidae, com 47 visitas. A família Thraupidae obteve a maior riqueza, com oito espécies observadas. A segunda família em riqueza foi Tyrannidae, com sete espécies. O modo de captura de frutos/diásporos mais utilizado pelas aves foi o picking, com 15 registros. As aves da família Turdidae engoliram os frutos diretamente, sendo consideradas boas dispersoras de sementes. Portanto, com o presente trabalho, conclui-se, que a espécie de estudo, Trema micrantha, pode ser considerada como potencial atrativo para a avifauna, além de atrair uma grande assembleia de frugívoros por longos períodos.

Palavras-chave: Ornitocoria. Thraupidae. Turdidae. Tyrannidae. Picking.

Downloads

Publicado

29-08-2014

Como Citar

de Oliveira, A. D., & Mariani, R. A. A. (2014). FRUGIVORIA EM Trema micrantha (CANNABACEAE) EM UM FRAGMENTO FLORESTAL NO MUNICÍPIO DE SÃO MIGUEL DO OESTE, SANTA CATARINA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, 300. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/5624

Edição

Seção

São Miguel do Oeste - Pesquisa