FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA: VARIÁVEIS PREDITORAS DA SÍNDROME DE BURNOUT DOS ACADÊMICOS

Autores

  • Cleocimar Aigner Paludo Universidade do Oeste de Santa Catarina - campus de Xanxerê
  • Veridiana Dagostin Universidade do Oeste de Santa Catarina - campus de Xanxerê

Resumo

Durante a formação acadêmica, os alunos de Psicologia podem vivenciar fatores de estresse? Os acadêmicos do curso de psicologia são pessoas que, além de sua rotina acadêmica, contam com uma rotina de trabalho e são afetados por vários fatores de estresse. O resultado deste estresse pode comprometer o engajamento dos acadêmicos nas atividades de aprendizagem em sala de aula e nas atividades extraclasse e prejudicar a vida acadêmica. As atividades de aprendizagem podem ser percebidas e vivenciadas pelos acadêmicos com grau alto de estresse, de forma negativa, como uma punição. Os acadêmicos que participam de cursos noturnos, podem apresentar fatores estressantes e viver momentos de ansiedade pela carga emocional gerada pelo curso. A soma dos fatores estressantes e vivenciados pelos acadêmicos podem levar a Exaustão Emocional. Pode ser percebido ainda, um sentimento de ineficácia profissional do acadêmico que pode ser caracterizado pela percepção de incompetência do acadêmico, no sentido de não conseguir atender as atividades acadêmicas propostas. No inicio da graduação os acadêmicos deparam-se com leituras técnicas, vivencias e estudos de caso que o acadêmico pode se identificar com as situações estudadas. Logo surge os primeiros estágios com intervenções, tirando o acadêmico de uma situação já conhecida, a insegurança, os medos, e as dúvidas quanto a capacidade de corresponder com as competências necessárias e exigidas para o exercício profissional do psicólogo. No final da formação acadêmica, os estágios, as triagens, o contato com a clientela, a ansiedade gerada por uma exigência de uma postura profissional integrando a teoria com a pratica. A Síndrome de Burnout (SB) em acadêmicos trabalhadores, pode aparecer como conseqüência do sentimento de exaustão devido às demandas do estudo e a jornada de trabalho.

Palavras chaves: Síndrome de Burnout. Acadêmicos. Psicologia.

 veridiana.dagostin@hotmail.com

cleocimar.paludo@unoesc.edu.br

 

____________________________________________________

[1] Mestre em Psicologia e em Educação pela UFSC e docente do curso de Psicologia da Unoesc Xanxerê.

2 Acadêmica do Curso de Psicologia da Unoesc Xanxerê.

Biografia do Autor

Cleocimar Aigner Paludo, Universidade do Oeste de Santa Catarina - campus de Xanxerê

Docente do curso de Psicologia da Unoesc campus de Xanxerê.

Veridiana Dagostin, Universidade do Oeste de Santa Catarina - campus de Xanxerê

Acadêmica do curso de Psicologia da Unoesc campus de Xanxerê.

Downloads

Publicado

29-08-2014

Como Citar

Paludo, C. A., & Dagostin, V. (2014). FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA: VARIÁVEIS PREDITORAS DA SÍNDROME DE BURNOUT DOS ACADÊMICOS. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, 431. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/5569

Edição

Seção

Xanxerê - Pesquisa