PERFIL GENOTÍPICO DO POLIMORFISMO P72R DO GENE P53 EM PACIENTES COM CÂNCER DE PRÓSTATA NA REGIÃO DO MEIO OESTE CATARINENSE

Autores

  • Vinícius Benetti Miola Curso de Medicina / Área das Ciências Biológicas e da Saúde / Universidade do Oeste de Santa Catarina / Joaçaba
  • Paula Andrioni Curso de Ciências Biológicas / Área das Ciências Biológicas e da Saúde / Universidade do Oeste de Santa Catarina / Joaçaba
  • Cristiane Pereira Cousseau Curso de Ciências Biológicas / Área das Ciências Biológicas e da Saúde / Universidade do Oeste de Santa Catarina / Joaçaba
  • Antônio Euclides De Souza Júnior Curso de Medicina / Área das Ciências Biológicas e da Saúde / Universidade do Oeste de Santa Catarina / Joaçaba
  • Glauber Wagner Curso de Medicina / Área das Ciências Biológicas e da Saúde / Universidade do Oeste de Santa Catarina / Joaçaba

Resumo

O adenocarcinoma de próstata é o tumor mais frequente em homens e a segunda causa de morte, com a sua incidência principalmente entre a sexta e a oitava décadas de vida. O gene p53 auxilia na prevenção do aparecimento de mutações, regulando a apoptose celular. Mutações nesse gene deixam a célula mais susceptível a lesões. O objetivo deste trabalho foi avaliar a frequência dos polimorfismos de genes associados ao reparo do DNA em pacientes com câncer de próstata da região do Meio Oeste catarinense. Para isso, foram revisados os resultados de anatomopatológico de 603 pacientes que realizaram biópsia de próstata ou prostatectomia radical; destes, foram coletados e posteriormente realizados PCR e RFLP das amostras de swab oral de 37 pacientes com adenocacinoma de próstata e 12 controles negativos. Entre os pacientes com diagnóstico de adenocarcinoma de próstata, 14 se apresentaram homozigotos para Prolina (Pro/Pro), 12 homozigotos para Arginina (Arg/Arg) e 11 heterozigotos (Pro/Arg); os 12 pacientes do grupo controle apresentaram seis pacientes Pro/Pro, quatro Arg/Arg e dois Pro/Arg. Esses grupos não apresentaram diferença estatística, sendo o p=0,561. Neste estudo, o polimorfismo P72R do gene p53 não se apresentou nem como fator de risco nem como de proteção para o adenocarcinoma de próstata, mas a grande prevalência dessa patologia justifica a contínua busca da gênese dessa doença.

Palavras-chave: Adenocarcinoma de próstata. Gene p53. Polimorfismo. 

Downloads

Publicado

04-09-2014

Como Citar

Miola, V. B., Andrioni, P., Cousseau, C. P., De Souza Júnior, A. E., & Wagner, G. (2014). PERFIL GENOTÍPICO DO POLIMORFISMO P72R DO GENE P53 EM PACIENTES COM CÂNCER DE PRÓSTATA NA REGIÃO DO MEIO OESTE CATARINENSE. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, 220. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/5313

Edição

Seção

Joaçaba - Pesquisa