VARIABILIDADE INTRAESPECÍFICA DA PROTEÍNA FLAGELAR LIGADORA DE CÁLCIO (FCABP) DE TRYPANOSOMA RANGELI

Autores

  • Rafael Fogaça Almeida Curso de Ciências Biológicas / Área das Ciências Biológicas e da Saúde / Universidade do Oeste de Santa Catarina / Joaçaba
  • Maiara Anschau Floriani Curso de Ciências Biológicas / Área das Ciências Biológicas e da Saúde / Universidade do Oeste de Santa Catarina / Joaçaba
  • Ana Paula Gruendling Laboratório de Protozoologia / Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Edmundo Carlos Grisard Laboratório de Protozoologia / Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Glauber Wagner Curso de Ciências Biológicas / Área das Ciências Biológicas e da Saúde / Universidade do Oeste de Santa Catarina / Joaçaba

Resumo

 

A doença de Chagas constitui um dos principais problemas de saúde pública nas Américas. Seu agente etiológico, o Trypanosoma cruzi Chagas, 1909, compartilha com Trypanosoma rangeli Tejera, 1920, regiões geográficas, além de hospedeiros, sendo comum ocorrerem infecções mistas dificultando o diagnóstico da doença. Dessa forma, a reatividade cruzada gera resultados falso-positivos com T. cruzi e T. rangeli dificultando o diagnóstico sorológico da doença de Chagas. No entanto, algumas diferenças moleculares destes parasitos podem ser localizadas e utilizadas como biomarcadores específicos. Diante disso, este trabalho buscou avaliar a variabilidade intraespecífica da Proteína Flagelar Ligadora de Cálcio (FCaBP) de T. rangeli em quatro diferentes cepas, pois essa proteína se apresenta como possível alvo molecular para o diagnóstico diferencial dos parasitos. Para isso, foram desenhados iniciadores para a amplificação mediante a Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) e posterior sequenciamento do gene de FCaBP de T. rangeli (TR-FCaBP-F 5’ AGG CGA TAG TAG CAC AAT TCA G 3’) e (TR-FCaBP-R 5’ TCT GTC CAG CTC CTT GAA C 3’). A análise in silico do gene da FCaBP nas cepas Choachí, SC58, Macias e LDG de T. rangeli revelou alta similaridade entre as cepas deste parasito. Contudo, observou-se a ausência de seis resíduos de aminoácidos na região N-terminal quando comparada com a proteína homóloga de T. cruzi. Essa região confere a distinção de um epitopo exclusivo ao T. rangeli (SKSSAGNKDGKSATD), tornando-se um potencial marcador específico ao T. rangeli em diagnóstico sorológico diferencial ao T. cruzi.

Palavras-chave: Doença de Chagas. Trypanosoma cruzi. Proteína de ligação ao cálcio. Diagnóstico diferencial. PCR.

Downloads

Publicado

2014-09-05

Como Citar

Almeida, R. F., Floriani, M. A., Gruendling, A. P., Grisard, E. C., & Wagner, G. (2014). VARIABILIDADE INTRAESPECÍFICA DA PROTEÍNA FLAGELAR LIGADORA DE CÁLCIO (FCABP) DE TRYPANOSOMA RANGELI. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, 233. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/5311

Edição

Seção

Joaçaba - Pesquisa