ANÁLISE DA INTERFERÊNCIA DE Listeria monocytogenes EM DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO DE Gallus gallus.

Autores

  • Fernanda Maurer D´Agostini UNOESC
  • Rampon José Eldes Unoesc
  • Marcelina Mezzomo Debiasi Unoesc
  • Roberto Dengenhardt UNOESC

Resumo

O ambiente do incubatório proporciona condições ideais para a disseminação de micro-organismos, ocasionando mortalidade e perda de qualidade embrionária. Dessa forma, objetivou-se avaliar os efeitos da Listeria monocytogenes durante o desenvolvimento embrionário de Gallus gallus. Neste estudo, foram utilizados 345 ovos embrionados, incubados à temperatura de 37.5 °C. Foram realizados dois experimentos. O primeiro, dose infectiva letal, 210 ovos foram inoculados a diluições de 108 a 102 células/mL, 10 ovos para cada concentração; o segundo, 135 ovos foram divididos em cinco grupos experimentais: 1) Grupo controle (CF), ovos fechados, sem intervenções; 2) Grupo controle (CA), ovos nos quais foi injetado PBS (solução salina tamponada com fosfato, veículo do contaminante injetado diretamente no albúmen); 3) Grupo (T1), ovos expostos a uma concentração de 102 células/mL direto no albúmen; 4) Grupo (T2), ovos expostos a uma concentração de 103 células/mL direto no albúmen; 5) Grupo (T3), ovos expostos a uma concentração de 103 células/mL na câmara de ar. Após a exposição, os ovos foram incubados durante sete, 14 e 21 dias. Os embriões desses ovos incubados foram coletados, mantidos em solução formol 10% para posterior análise. Para a análise microbiológica, foi utilizado vitelo diluído seis vezes em solução fisiológica, caldo UVM para enriquecimento da cultura e Fraser como meio seletivo. Para a análise estatística, utilizou-se programa Bioestat 5.0, teste de normalidade Shapiro-wilk, variância Kruskal-wallis e porcentagem. Os resultados demonstraram que embriões expostos a L. monocytogenes apresentaram mortalidade de 50% na concentração 104 células/mL, aumentando gradativamente conforme o tempo de exposição. Verificou-se atraso de desenvolvimento nos embriões tratados, porém, sem alterações morfológicas. Observou-se aumento no índice de mortalidade nos embriões a partir do 14º dia de incubação. Assim, entende-se que L. monocytogenes causa mortalidade e atraso no desenvolvimento embrionário de Gallus gallus; dessa forma, evidencia-se a necessidade de estudos relacionados à transmissão vertical.

Palavras-chave: Incubatório. Inoculação. Tratamentos. Morfologia. Desenvolvimento.

Biografia do Autor

Fernanda Maurer D´Agostini, UNOESC

Bióloga formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Especialista em Sistemática e Biodiversidade Animal (PUCRS), Mestre em Biociências (PUCRS) e Doutora em Zoologia (PUCRS). Atualmente trabalho na linha de pesquisa Biologia de agentes infectocontagiosos da UNOESC.

Rampon José Eldes, Unoesc

Graduado em Ciências Biológicas - UNOESC

Downloads

Publicado

04-09-2014

Como Citar

D´Agostini, F. M., Eldes, R. J., Debiasi, M. M., & Dengenhardt, R. (2014). ANÁLISE DA INTERFERÊNCIA DE Listeria monocytogenes EM DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO DE Gallus gallus. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão, 171. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/5216

Edição

Seção

Joaçaba - Pesquisa