ESTRUTURAÇÃO DE GRUPO CONTROLE PARA ESTUDOS EM DERMATOGLIFIA NA SAÚDE E PERFORMANCE HUMANA

Autores

  • Rudy José Nodari Júnior Unoesc
  • Camila Thais Dalanora Unoesc
  • Gracielle Fin Unoesc
  • Leoberto Ricardo Grigollo Unoesc
  • Mariarosa Mendes Fiedler Unoesc

Resumo

As qualificações dos métodos de uma pesquisa passam pela adequada estruturação de grupos amostrais. Neste caso, há fatores que diferenciam grupos e que devem ser levados em conta como, por exemplo, faixa etária, classe social e sexo. A dermatoglifia é um método que estuda marcas genéticas e, portanto, pode ser um método de identificação de diferenciação entre os sexos. Para tanto, é necessário saber se existem diferenças entre os sexos, quando comparadas as impressões digitais entre eles. O objetivo desse estudo é comparar as impressões digitais de indivíduos de ambos os sexos, a partir da análise dermatoglífica. A amostra foi composta por indivíduos, de ambos os sexos, na faixa etária de 10 a 15 anos, residentes no Meio Oeste Catarinense e cadastradas na base de dados computadorizada do Laboratório de Fisiologia do Exercício da Unoesc campus Joaçaba. O perfil dermatoglífico dos indivíduos foi determinado por meio do método de coleta proposto por Cummins e Midlo (1961), utilizando o Leitor Dermatoglífico proposto por Nodari Júnior (2008). No estudo foram analisados 1.212 indivíduos com média de idade de 12,57 ± 1,32, sendo n=644 (53,1 %) do sexo feminino e n=568 (46,9 %) do sexo masculino. O intervalo de confiança proposto para a análise foi superior a 95% (p<0,05). A comparação entre os sexos, a partir da análise dermatoglífica, apresentou diferenças significativas nas variáveis SQTL, SQTLD e SQTLE, além do MESQL1, 2, 3, 4, 5 e MDSQL1 e 5.  Na comparação da variável SQTLD, o sexo masculino apresentou média de 61,03 ± 18,83 e o sexo feminino apresentou média de 57,35 ± 19,42 com p=0,003*. Na comparação da variável SQTLE, o sexo feminino apresentou média de 59,52 ± 19,23 e o sexo feminino apresentou média de 54,53 ± 20,52 com p=0,000*. Na variável SQTL, que se refere a todas as linhas manifestadas em todos os dedos de ambas as mãos, a média para o sexo masculino foi de 120,55 ± 36,76, enquanto que o sexo feminino teve média de 111,82 ± 38,70 com p=0,000*. Os resultados identificados na comparação das impressões digitais entre os sexos mostraram que para as variáveis quantitativas. Com isso, para a formação de grupos controle em estudos de dermatoglifia, a seleção dos indivíduos de acordo com seu sexo mostrou-se de suma importância para determinar melhores resultados nas pesquisas.

Biografia do Autor

Rudy José Nodari Júnior, Unoesc

Professor da Universidade do Oeste de Santa Catarina, coordena o Laboratório de Fisiologia do Exercício desta Instituição e é membro permanente do programa de pós-graduação nível mestrado (Mestrado em Biociências na Saúde - em formação).

Downloads

Publicado

02-08-2013

Como Citar

Nodari Júnior, R. J., Dalanora, C. T., Fin, G., Grigollo, L. R., & Fiedler, M. M. (2013). ESTRUTURAÇÃO DE GRUPO CONTROLE PARA ESTUDOS EM DERMATOGLIFIA NA SAÚDE E PERFORMANCE HUMANA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/3072

Edição

Seção

PIBIC- CNPq