BEM ESTAR ANIMAL NA SUINOCULTURA

  • Gustavo Krahl Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Patrine Vera Silva

Resumo

O bem estar animal (BEA) começou a ser estudado na década de 70, ao se identificar a necessidade de fomentar um melhor relacionamento entre animais e seres humanos. A cada ano o BEA na suinocultura ganha espaço devido exigências do mercado internacional. Para que os animais tenham o bem estar atendido, é essencial não apenas alimentação balanceada, água e assistência veterinária, necessita-se sobretudo de uma excelente saúde mental. Considera-se que um animal está em boas condições quando pode expressar as cinco liberdades: estar livre de fome e sede; livre de dor, ferimentos e doenças; livre de desconforto; livre para expressar seu comportamento natural e livre de medo e estresse. Um dos sistemas de criação mais utilizados é o confinamento de alta tecnologia, o qual trouxe inúmeros benefícios para os animais quanto ao controle zootécnico, sanitário e de ambiência. Observa-se o desenvolvimento e aperfeiçoamento principalmente quanto as instalações e manejo. As principais categorias contempladas são fêmeas gestantes e leitões na maternidade. O manejo e estrutura de carregamento e método de transporte dos animais desde as granjas até o frigorífico, bem como metodologias de abate humanitário também são contemplados em pesquisas na área de BEA. A melhoria do BEA na suinocultura visa inicialmente a melhoria da qualidade de vida dos animais e também dos suinocultores, porém o grande desafio da implantação de programas nesta área é manter a viabilidade econômica da atividade mesmo com investimentos em infraestrutura, tecnologia e mão de obra.
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Krahl, G., & Silva, P. (2018). BEM ESTAR ANIMAL NA SUINOCULTURA. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18799