DIFICULDADES NA IMPLANTAÇÃO DO BLOCO K NAS INDÚSTRIAS DO OESTE CATARINENSE

  • Roberto Wilder UNOESC
  • Lediani MOHR UNOESC
  • Mauricio Marlon LAMBRECHT UNOESC
  • Ricardo CAPPELLARO UNOESC

Resumo

Este artigo propôs-se a identificar quais as dificuldades enfrentadas pelas empresas do ramo industrial localizadas no Oeste de Santa Catarina ao implantarem o Bloco K. Quanto aos procedimentos metodológicos utilizados nesta pesquisa, caracteriza-se como uma pesquisa descritiva, com uma abordagem quantitativa. Foi feito um questionário, o qual foi enviado para mais de 30 Indústrias de setores distintos. Os resultados evidenciam que o Bloco K apesar de trazer várias dificuldades para as entidades obrigadas também influencia positivamente, fazendo com que as empresas busquem conhecimento e tecnologia, fortalecendo assim os sistemas internos e proporcionando maior confiabilidade nas informações geradas. Constatou-se que inúmeras entidades que mantém sob sigilo a produção e composição do seu produto, estão incomodadas com o fornecimento de dados ao governo, manifestando preocupação com o possível vazamento destas informações. Conclui-se, portanto que a maior dificuldade encontrada pelas entidades ao se adequar ao Bloco K, é a quantidade de mudanças necessárias no processo fabril da empresa. Este resultado reforça a importância do treinamento e capacitação dos profissionais envolvidos, e se necessário à contratação de assessorias especializadas para a correta entrega do arquivo Bloco K.
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Wilder, R., MOHR, L., LAMBRECHT, M., & CAPPELLARO, R. (2018). DIFICULDADES NA IMPLANTAÇÃO DO BLOCO K NAS INDÚSTRIAS DO OESTE CATARINENSE. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18601