PACIENTES DA REDE DE COMBATE AO CÂNCER: LEVANTAMENTO DA FREQUÊNCIA QUE SURGEM OS PRINCIPAIS ASPECTOS SENTIMENTAIS, DO DIAGNÓSTICO A RECUPERAÇÃO

  • Bruna Corrêa
  • Andressa Pereira da Silva
  • Ana Cristina Santos
  • Josiane dos Santos

Resumo

Este estudo foi elaborado para investigar e analisar  as respostas sentimentais mais encontradas para lidar com o diagnóstico de câncer, causando nos pacientes diversos sentimentos. Ao receber o diagnóstico surge a sensação de estar recebendo uma sentença de morte, ou ainda, a certeza de um processo longo e doloroso. Os pacientes no geral tentam identificar justificativas para entender porque estão vivendo este momento e buscam formas de enfrentamento: para lidar com o tratamento, informar a família, gerenciar seus sentimentos e emoções, além de todos os efeitos colaterais que são causados pelo próprio tratamento que é bastante agressivo. Inúmeros são os fatores que influenciam na recuperação dessa doença. Tendo em vista esses aspectos, o objetivo proposto consiste em levantar dados referentes ao número e a questão psicológica de mulheres que frequentam a Rede Videirense de Combate ao Câncer (RVCC), do Município de Videira-SC. Identificou-se que no geral algumas respostas aparecem com mais frequência e podem sugerir o sucesso ou o fracasso no enfrentamento durante o  tratamento. Os resultados levantados trouxeram para os academicos uma compreensão de como lidar, diante ao tratamento Psicologico em pacientes ancologicos, tendo em vista que os sentimentos encontrados na maioria das respostas vêm ao encontro com estudos cientificos já elaborados diante ao processo do tratamento de câncer. 

Palavras chave: Câncer. Enfrentamento. Frequência. 

Publicado
28-08-2018
Como Citar
Corrêa, B., Silva, A., Santos, A. C., & Santos, J. (2018). PACIENTES DA REDE DE COMBATE AO CÂNCER: LEVANTAMENTO DA FREQUÊNCIA QUE SURGEM OS PRINCIPAIS ASPECTOS SENTIMENTAIS, DO DIAGNÓSTICO A RECUPERAÇÃO. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18440