PERFIL BIOQUÍMICO E HEMATOLÓGICO DE EQUÍDEOS UTILIZADOS COMO TRAÇÃO ANIMAL NO PERÍMETRO URBANO DE XANXERÊ-SC

  • Michele Helena Weirich Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Eduarda Cristina Sparremberger Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Ana Luiza Alves Rambo Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Jocenir Nunes de Oliveira Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Eliana Lucia Fiorentin Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Giovana Camillo Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Dietrich Pizzigatti Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

No perímetro urbano, a tração animal realiza principalmente a coleta de resíduos recicláveis e pequenos transportes. Através do Projeto “Amigo Carroceiro”, que avalia a saúde e bem-estar de equinos de tração no município de Xanxerê, realizou-se as análises hematológicas e bioquímicas 15 animais dos 14 proprietários cadastrados, entre janeiro e dezembro de 2017. Amostras de sangue foram coletadas, acondicionadas em frascos para hematologia e bioquímicos. Foram realizados exames hematológicos e bioquímicos (Aspartato amino transferase – AST e Gama glutamil transferase – GGT) e colorimétrico (glicose, cálcio, proteína total sérica, magnésio e creatinina quinase– CPK). Nos parâmetros hematológicos avaliados, 2/15 animais apresentaram anemia relativa normocítica hipocrômica, sem alterações marcantes no perfil leucocitário. Os parâmetros bioquímicos revelaram hipoalbuminemia em todos animais e provável comprometimento musculoesquelético por esforço devido ao elevado valor de CPK (403,07 ±136,07) em todos os animais e de AST (339,82 ± 119,64) em 2/15. A partir dessas informações, mesmo levando em consideração as condições geralmente precárias de nutrição, manejo e sanidade, a maioria dos animais mantiveram-se dentro dos padrões de referência. A caracterização de lesões musculares pode estar relacionada à rotina de trabalho das quais os animais são submetidos e, para tanto, o trabalho de informação aos condutores sobre questões de manejo, rodizio dos animais, carga horária de serviço e suporte mineral e alimentar adequado podem ajudar a corrigir essas alterações.

Biografia do Autor

Michele Helena Weirich, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Medicina Veterinária
Eduarda Cristina Sparremberger, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Medicina Veterinária
Ana Luiza Alves Rambo, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Medicina Veterinária
Jocenir Nunes de Oliveira, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Medicina Veterinária
Eliana Lucia Fiorentin, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Medicina Veterinária
Giovana Camillo, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Medicina Veterinária
Dietrich Pizzigatti, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Medicina Veterinária
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Weirich, M., Sparremberger, E., Rambo, A., de Oliveira, J., Fiorentin, E., Camillo, G., & Pizzigatti, D. (2018). PERFIL BIOQUÍMICO E HEMATOLÓGICO DE EQUÍDEOS UTILIZADOS COMO TRAÇÃO ANIMAL NO PERÍMETRO URBANO DE XANXERÊ-SC. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18433
Edição
Seção
Xanxerê - Extensão