HEPATITE MEDICAMENTOSA

  • Patricia Massolla Unoesc Xanxerê
  • Juliana Tomazeli Unoesc Xanxerê
  • Sandriely Rodrigues Unoesc Xanxerê
  • Mônica Raquel Sbeghen UNOESC-SC

Resumo

A hepatíte medicamentosa trata-se da inflamação do fígado causada por drogas, fitoterápicos, insumos vegetais (chás), medicamentos ou suplementos alimentares. Essas lesões podem variar quanto a gravidade, desde casos sem sintomas, nos quais há apenas a elevação das enzimas hepáticas, até casos de insuficiência hepática fulminante ou cirrose, necessitando de transplante de fígado. A hepatite medicamentosa pode ser confirmada quanto aos sintomas e aos exames apresentados após a utilização de alguma medicação, ou exposição a substâncias tóxicas. Os exames utilizados para diagnosticar a hepatite medicamentosa incluem dosagens bioquímicas de AST, ALT, bilirrubina, fosfatase alcalina e gama-GT. Além destes exames a biópsia do fígado, pode auxiliar para diferenciá-la dos outros tipos de hepatite. Os sintomas da hepatite medicamentosa surgem de forma repentina após o uso do medicamento, através de febre baixa, cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos, coeceira pelo corpo, dor no lado direito do abdômen, náuseas, vômitos, mal-estar, urina escura e fezes de cor clara. O médico pode prescrever corticoides por um período de aproximadamente 2 meses ou até a normalização dos níveis das enzimas hepáticas. A dieta para hepatite medicamentosa consiste em beber bastante água e aumentar o consumo de alimentos naturais como legumes, verduras, frutas e cereais, diminuindo o consumo de alimentos ricos em gorduras e as bebidas alcoólicas.
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Massolla, P., Tomazeli, J., Rodrigues, S., & Sbeghen, M. R. (2018). HEPATITE MEDICAMENTOSA. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18414
Edição
Seção
Xanxerê - Pesquisa