A MÚSICA CONTRIBUINDO NA INCLUSÃO ESCOLAR

  • Adriana Sernajoto UNOESC
  • Fabio Bolzan
  • Maiara Pereira dos Santos
  • Erickson do Espirito Santo

Resumo

Sobre inclusão social oficialmente vem se falando desde 1994 pelo tratado de Salamanca, mais desde essa época na maioria das escolas brasileiras a inclusão ainda é algo impensável, já que poucas estão realmente preparadas com profissionais e estruturas adequadas para atender a demanda de crianças especiais que cada vez é maior. E a música pode ser um instrumento fundamental nesse quesito, pois ela une as pessoas, faz com que interajam, expressem sentimentos. Em certos momentos ela vem até ser terapêutica e, desta forma, auxilia muito na inclusão social, desde que trabalhada de forma correta.  A maioria dos conteúdos musicais trabalhados em sala de aula estão exclusivamente voltados para alunos ouvintes, então questiona-se: como trabalhar o ensino da música em sala de aula para quem possui deficiência auditiva? Teve como objetivo geral: analisar como trabalhar o ensino da música em sala de aula para quem possui deficiência auditiva.  Desta forma esta pesquisa, desenvolvida no espaço formal, abordou a música como fator de inclusão social, oportunizando um qualitativo processo de ensino e aprendizgem. Assim, unindo música com LIBRAS, percebeu-se as capacidades (escondidas) dos alunos quanto às interações, ao envolvimento, às expressões de sentimentos, e à participação nas atividades planejadas, que primaram pela diversificação, experimentação, interação entre os alunos, oportunizaram o sentir, como principal aspecto do processo.

Biografia do Autor

Adriana Sernajoto, UNOESC
Área das Humanidades.
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Sernajoto, A., Bolzan, F., dos Santos, M., & Santo, E. (2018). A MÚSICA CONTRIBUINDO NA INCLUSÃO ESCOLAR. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18385