OCORRÊNCIA DE BABESIA SP. E ANAPLASMA MARGINALE EM ANIMAIS CLINICAMENTE ACOMETIDOS POR TRISTEZA PARASITÁRIA BOVINA

  • Daniela Lourdes Vanazi
  • Tanaiza Carla Rigo
  • Nubia Deconto Baldasso
  • Mauricio Francisco Grigolo
  • Silvana Giacomini Collet
  • Alan Miranda Prestes
  • Natalha Biondo
  • Thaiza Savaris
  • Giovana Camillo Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

O complexo tristeza parasitária bovina (TPB) na maioria dos casos apresenta sinais característicos, o que facilita o diagnóstico clínico, todavia a confirmação dessa patologia se dá com apoio laboratorial, ferramenta esta, pouco utilizada. A observação dos agentes em esfregaços sanguíneos corados é um método prático e de baixo custo, auxiliando os profissionais a identificar a etiologia dos casos suspeitos. Com o objetivo de obter dados da ocorrência dos agentes causadores da TPB, foram coletadas 149 amostras de sangue de animais clinicamente acometidos. As amostras foram utilizadas para confecção de esfregaço em lâminas que posteriormente foram coradas com Panótico rápido. Das 149 amostras pesquisadas, 78 (52,35%) foram positivas para A. marginale, 04 (2,68 %) para Babesia bigemina, e, em 03 (2,01%) amostras, identificou-se A. marginale e B.bigemina no mesmo animal. Todos os casos descritos no presente estudo foram em animais adultos, a partir de dois anos de idade, com maior ocorrência para fêmeas da raça holandesa 64/119 (45,95%). Em relação à presença de ectoparasitas, observou-se 58/149 (38,92 %) animais parasitados com carrapatos. Quanto à presença de outros vetores, todas as propriedades nas quais foram coletadas amostras com suspeita de TPB, apresentavam moscas hematófagas. Os resultados encontrados no presente estudo demonstram uma maior ocorrência de Anaplasma marginale, evidenciando a necessidade dos médicos veterinários buscar estratégias de controle e prevenção, focadas para cada agente, principalmente nas épocas de maior ocorrência dos vetores.

Biografia do Autor

Giovana Camillo, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Médica Veterinária (2008) formada na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Mestre (2011) em Medicina Veterinária Preventiva, Doutora (2015) em Sanidade e Reprodução Animal e Pós-doutorado na área de Doenças infecto-contagiosas, ênfase em bacteriologia. Possui grau equivalente à Licenciatura Plena (2015), obtido através do Programa Especial de Formação de Professores para a Educação Profissional, da UFSM . Atualmente é professora na Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), no curso de Medicina Veterinária, responsável pelas disciplinas de Parasitologia Veterinária, Doenças Parasitárias, Doenças Infecto-contagiosas, bem como pelo Laboratório de Parasitologia Veternária da instituição. Possui experiência em Medicina Veterinária Preventiva, principalmente nas áreas de Parasitologia, Doenças Parasitárias dos animais domésticos e Doenças infecto-contagiosas. Desenvolveu trabalhos com protozoários (Toxoplasma gondii e Neospora caninum, com ênfase em diagnóstico - Imunofluorescência indireta, bioensaio, cultivo celular, isolamento e biologia molecular), além de helmintoses (diagnóstico coproparasitológico, cultura e identificação de larvas, teste de eficácia de anti-helmínticos, método Famacha) e Ixodídeos (biocarrapaticidograma).
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Vanazi, D. L., Rigo, T. C., Baldasso, N. D., Grigolo, M. F., Collet, S. G., Prestes, A. M., Biondo, N., Savaris, T., & Camillo, G. (2018). OCORRÊNCIA DE BABESIA SP. E ANAPLASMA MARGINALE EM ANIMAIS CLINICAMENTE ACOMETIDOS POR TRISTEZA PARASITÁRIA BOVINA. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18222
Edição
Seção
Xanxerê - Pesquisa