Diabetes: o doce amargo da cronicidade

  • Emanuelle de Mattos
  • Marilda Saccol

Resumo

O diabetes mellitus é considerado uma doença crônica com elevados índices de incidências na população mundial e altas taxas de morbidades e mortalidades. O presente artigo teve como objetivo verificar a presença de fatores emocionais nos indivíduos acometidos pelo diabetes tipo 1 ou 2, considerando o perfil sociodemográfico, tempo de diagnóstico e presença de complicações e comorbidades, além da percepção dos sujeitos quanto à qualidade de vida e expectativas para o futuro.  A amostra deste estudo constitui-se por 11 indivíduos acometidos pelo diabetes mellitus tipo 1 ou tipo 2 que fazem parte da área de abrangência de uma Estratégia de Saúde da Família de uma cidade do meio-oeste de Santa Catarina e que possuem diagnóstico da doença há mais de 5 anos. A coleta de dados aconteceu por meio de uma entrevista semiestruturada no decorrer do primeiro semestre de 2017 na residência dos sujeitos. Diante da amostra da pesquisa evidenciou-se que a maioria dos sujeitos é do sexo feminino, com idade superior a 50 anos, apresentando grande número de comorbidades e complicações clínicas, como insuficiência renal, retinopatia diabética, hipertensão, cardiopatias, depressão, entre outras, resultando na presença de fatores emocionais que estão presentes na maioria dos entrevistados, entre eles a ansiedade, tristeza frequente, choro frequente, medo, estresse e irritabilidade, sendo que exercem influência significativa na sua percepção sobre qualidade de vida e expectativas para o futuro, necessitando a compreensão do diabético de uma maneira biopsicossocial.

Publicado
28-08-2018
Como Citar
de Mattos, E., & Saccol, M. (2018). Diabetes: o doce amargo da cronicidade. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18155
Edição
Seção
Joaçaba - Pesquisa