VOCABULÁRIO DA REFORMA: TENDÊNCIAS NAS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA BRASILEIRA

  • Marilda Pasqual Schneider Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Samuel Miguel Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Camila Regina Rostirola Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

Em vista da crescente tendência à homogeneização de políticas públicas,  em nível global, e da proliferação, no Brasil, de documentos em torno da reforma educacional (SHIROMA; CAMPOS; GARCIA, 2005), consistiu objetivo deste trabalho empreender análise do vocabulário da reforma com o intuito de deslindar tendências nas políticas públicas da educação básica brasileira.  Partindo do pressuposto de que os documentos produzidos no Brasil, nas últimas duas décadas, procuram criar o que Jameson (1997) denomina de "hegemonia discursiva" em torno da reforma, o percurso metodológico deste estudo compreendeu mapeamento de documentos que, em alguma medida, sintetizam o conjunto de mudanças requeridas na educação básica, e análise de expressões recorrentes nesses documentos. A leitura atenta do material coligido e o cruzamento dele com a literatura  sobre o tema permitiu a construção de uma rede discursiva que, no seu conjunto, indicia o caminho das políticas públicas para a educação básica brasileira. Constituída pela preponderância de algumas expressões, tais como controle social, transparência e regulação, a rede tecida demonstrou, no seu conjunto, tendência à implementação de reformas educacionais focalizadas no interesse de controle e alinhamento das ações emprendidas pelas escolas e seus docentes. Pautada em políticas de avaliação, prestação de contas e responsabilização (accountability), essa tendência coaduna com recomendações de organismos internacionais  cujos propósitos de atuação destinam-se à preservação das condições de ampliação do capitalismo em contexto globalizatório.

Biografia do Autor

Marilda Pasqual Schneider, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Graduada em Letras - Hab. em Português e Inglês pela Universidade do Contestado (1987), Mestre em Educação e Ensino - Convênio Interinstitucional UnC / UNICAMP (2000), Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2007), Pós-doutora em Políticas educacionais pela Universidade do Minho - Portugal. Atualmente é professora titular do PPGEd - Mestrado, da Universidade do Oeste de Santa Catarina.
Samuel Miguel, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Estudante do Curso de Psicologia. Membro do Grupo Educação, Políticas Públicas e Cidadania, vinculadoa ao Progrma de Pós-graduação em Educçaão da Universidade do Oeste de Santa Catarina. Bolsista Pibic/CNPq
Camila Regina Rostirola, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Doutoranda em educação pela Universidade Federal do Paraná. Docente da Universidade do Oeste de Santa Catarina. Membro do Grupo de Pesquisa Educação, Políticas Públicas e Cidadania, vinculado ao Programa de Pós-graduação em Educação da Unoesc.
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Schneider, M., Miguel, S., & Rostirola, C. (2018). VOCABULÁRIO DA REFORMA: TENDÊNCIAS NAS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA BRASILEIRA. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18127