A LUTA ANTIMANICOMIAL

  • Taisa Trombetta DeMarco Unoesc
  • Giancarlo De Aguiar
  • Fabiana Piccoli D`Agostini
  • Adriano SCHLÖSSER

Resumo

O Movimento Nacional da Luta Antimanicomial teve início na década de 1970, a partir de discussões sobre a assistência psiquiátrica oferecida nos manicômios. Esse Movimento precede o MTSM (Movimento dos Trabalhadores de Saúde Mental). O MTSM iniciou uma crítica à epistemologia do saber psiquiátrico, de sua função de repressão e ordem social. Para melhor elucidar essa campanha o curso de psicologia da Unoesc Videira propôs uma apresentação teatral cujo tema gerador foi a Luta Antimanicomial. O grupo atuou na Área de Alimentação durante o intervalo e contou com a participação de 18 atores. O teatro consistiu em demonstrar a transição entre o manicômio e o tratamento mais humanizado com novas possibilidades. Outro grupo de alunos fizeram uma dramatização nos corredores térreos, estimulando os alunos de outros cursos a assistirem à apresentação teatral.  Foram utilizados adereços como “camisa de força”, algemas, “bolas de ferro” presas aos pés, roupas de presidiário, maquiagens faciais, entre outros, com o objetivo de demonstrar o sofrimento vivenciado pelos pacientes com comprometimento mental antes da conquista da luta antimanicomial. Houve uma manifestação de alunos que transitaram pelo Campus com cartazes-frases referenciando a temática, auxiliando assim na conscientização. A ação foi realizada no período de intervalo noturno que contou com a participação em massa dos alunos do curso de Psicologia totalizando foram 96, bem como com a coordenação e demais docentes. Ao todo prestigiaram o evento em torno de 250 pessoas.

Palavras chave:  Saúde mental. Loucura. Representação Social.

Biografia do Autor

Taisa Trombetta DeMarco, Unoesc
Todas
Publicado
28-08-2018
Como Citar
DeMarco, T., De Aguiar, G., D`AgostiniF., & SCHLÖSSER, A. (2018). A LUTA ANTIMANICOMIAL. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18037