Compreendendo a Terapia Familiar Sistêmica

  • Fabiana PICCOLI D'Agostini
  • Taisa Trombetta DeMarco Unoesc

Resumo

A terapia familiar surgiu na década de 50, revolucionando a psicologia, visto que seu objetivo, ao contrário da terapia individual é tratar o conjunto, nesse caso, a família. O desenvolvimento desse método terapêutico se deu nas décadas de 60, 70 e 80. A terapia familiar é uma forma de tratamento psicológico destinada a abordar questões específicas que afetam a saúde e o funcionamento de uma família. Pode ser usado para ajudar na reestruturação durante um período difícil, uma transição importante ou problemas de saúde mental ou comportamental nos membros da mesma. A terapia familiar considera os problemas dos indivíduos em contexto de unidade maior. Nesta abordagem, o terapeuta assume a responsabilidade pelo acompanhamento da terapia. Ele pode aplicar diferentes tipos de técnicas e abordagens terapêuticas e pode acabar assumindo diversos tipos de papéis dentro do tratamento. Entendendo a relação teoria e prática fundamental para o processo de ensino –aprendizagem, os academicos da 3ª. Fase do curso de Psicologia da Unoesc Videira realizaram a releitura do livro Izabel Augusta: a família como caminho de Solange Rosset na disciplina de sistêmica. Essa atividade consistiu em reproduzir o conteúdo do livro em apresentações temáticas com a turma dividida em grupos. Cada capitulo foi contado de maneira diferente utilizando técnicas como teatro, apresentações gráficas entre outras entendendo assim, melhor a aplicabilidade da terapia sistêmica. Os academicos das outras fases do curso prestigiaram a atividade, usufruindo também desse aprendizado.  

Palavras chave: Terapia Familiar. Família. Tratamento

Biografia do Autor

Taisa Trombetta DeMarco, Unoesc
Todas
Publicado
28-08-2018
Como Citar
D’Agostini, F., & DeMarco, T. (2018). Compreendendo a Terapia Familiar Sistêmica. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/18013