ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO DE BAMBU DE DIFERENTES ORIGENS COMO REFORÇO EM VIGAS DE CONCRETO SUBMETIDAS À FLEXÃO

  • Jhulis Marina Carelli Unoesc
  • Fernanda Menegazzi

Resumo

O setor da construção civil está em constante processo de desenvolvimento e inúmeras pesquisas são realizadas diariamente com o propósito de verificar a possibilidade de se empregar diferentes tipos de materiais nas construções, tendo um olhar cada vez mais voltado para construções sustentáveis. O bambu possui propriedades mecânicas semelhantes a outros materiais aplicados à composição do concreto armado, proporcionando maior economia, com baixo consumo de energia em sua produção e com efeitos positivos ao meio ambiente. O objetivo desta pesquisa foi estudar a utilização de taliscas de bambu de diferentes origens em substituição ao aço na região tracionada de vigas de concreto submetidas à flexão. Realizou-se ensaios de tração nas espécies de bambus retiradas em diferentes locais no oeste catarinense e, a partir do resultado obtido, dimensionou-se as vigas de concreto com a utilização de taliscas de bambu. Foram concretadas seis vigas reforçadas com bambu, e três vigas de concreto armado. Todas as vigas foram submetidas ao ensaio de flexão, onde avaliou-se a carga de ruptura, a fissuração e os deslocamentos máximos. A partir dos resultados obtidos verificou-se que é possível a utilização do bambu como material alternativo em substituição ao aço na região tracionada de vigas, e que as diferentes localidades, mesmo que apresentando um comportamento parecido, influenciam nas propriedades do bambu, visto que a capacidade de carga apresentou uma diferença de 10% entre as duas diferentes origens.
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Carelli, J. M., & Menegazzi, F. (2018). ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO DE BAMBU DE DIFERENTES ORIGENS COMO REFORÇO EM VIGAS DE CONCRETO SUBMETIDAS À FLEXÃO. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/17957
Edição
Seção
Joaçaba - Pesquisa