DESEMPENHO DAS CULTIVARES DE ALHO ITO E SAN VALENTIN NO EXTREMO OESTE CATARINENSE SOB USO DE IRRIGAÇÃO SUPLEMENTAR

  • Alexandro Reginatto UNOESC- São Jose do Cedro
  • Karina Londero Zandoná UNOESC- São Jose do Cedro
  • Maicon Lolato UNOESC- São Jose do Cedro
  • Claudia Klein UNOESC- São Jose do Cedro

Resumo

O Extremo Oeste Catarinense apresenta relevo ondulado e montanhoso a produção baseia-se principalmente no leite e grãos. A cultura do alho na região ainda é pouco difundida, e a produção é de pequena escala, geralmente para manutenção familiar, fato este devido à falta de conhecimento dos produtores sobre a cultura e poucas pesquisas sobre a adaptabilidade desta cultura na região em questão. No presente estudo foram avaliados a adaptabilidade das cultivares de alho no Extremo Oeste Catarinense. O experimento foi conduzido na safra 2017/2018, na Fazenda Escola da Unoesc- São José do Cedro – SC .Por a área ser pequena e homogênea, foi empregado o delineamento inteiramente casualizado, arranjo em faixa, sendo dois tratamentos e doze repetições, utilizando dois cultivares de alho, Ito e San Valentin. As variáveis massa de bulbo, massa de bulbilho, diâmetro de bulbo e produtividade, a cultivar San Valentin obteve melhores resultados em relação a cultivar Ito. Altura de planta e número de folhas não foram significativas. Foi constatado que as cultivares de alho Ito e San Valentin se adaptam na região Extremo Oeste Catarinense, e a cultivar San Valentin teve maior destaque em relação ao cultivar Ito.
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Reginatto, A., Zandoná, K., Lolato, M., & Klein, C. (2018). DESEMPENHO DAS CULTIVARES DE ALHO ITO E SAN VALENTIN NO EXTREMO OESTE CATARINENSE SOB USO DE IRRIGAÇÃO SUPLEMENTAR. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/17896