AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE METABÓLITOS SECUNDÁRIOS PRODUZIDOS POR ACTINOBACTÉRIAS FRENTE À ISOLADOS CLÍNICOS DE ESCHERICHIA COLI ORIUNDAS DE INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO

  • Isabel Andolfatto Acadêmica do curso de farmácia, Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC Videira.
  • Bibiana Paula Dambrós Prof. Me. do curso de Farmácia, Área da Ciências da Saúde, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus Videira.
  • Jane Mary L. Neves Gelinski Prof. Drª. dos cursos da Área Ciências da Saúde e Área das Ciências Exatas e Tecnológicas, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus Videira.
  • Elisandra Minotto Prof. Drª. dos cursos da Área Ciências da Saúde e Área das Ciências Exatas e Tecnológicas, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus Videira.

Resumo

As infecções do trato urinário (ITU) estão entre as principais doenças infecciosas evidenciadas na prática clínica, sendo o principal agente causador a bactéria Escherichia coli. A exposição frequente desta bactéria aos antimicrobianos vem acarretando o desenvolvimento de mecanismos de resistência, tornando-se necessário a obtenção de novos medicamentos com ação bactericida ou bacteriostática. Neste sentido, as actinobactérias se destacam pelo notável potencial na produção de novos compostos antibacterianos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antimicrobiana de metabólitos secundários produzidos por actinobactérias frente à isolados clínicos de E. coli oriundos de infecções do trato urinário. Para tanto, foram empregados 88 isolados de actinobactérias provenientes da rizosfera de plantas. Como microrganismos teste utilizou-se um isolado de E. coli sensível e um resistente a antimicrobianos, bem como uma cepa ATCC 25922 desta espécie, como controle. Dos 88 isolados de actinobactérias testados, 9,10% (8) apresentaram atividade antimicrobiana frente aos isolados de E. coli. Destacaram-se os isolados R18(6), CT-149, M1-2, M1-23 de actinobactérias, pois apresentaram os melhores índices de antibiose (IA) respectivamente, sendo que o isolado de actinobactéria que apresentou o maior índice de antibiose aos isolados de E. coli foi o isolado R18(6) com IA= 4,28. Os resultados demostram que os metabólitos secundários das actinobactérias contra espécies patogênicas de E. coli, são uma fonte viável de compostos bioativos para a produção de novos antimicrobianos.

Biografia do Autor

Elisandra Minotto, Prof. Drª. dos cursos da Área Ciências da Saúde e Área das Ciências Exatas e Tecnológicas, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus Videira.
Biólga pela UFPel, Mestre em fitossanidade pela UFPel, Doutora em Microbiologia Agrícola e do Ambiente. Pós doutorado em Ciência e Biotecnologia pela UNOESC. Atua como docente dos cursos da Área da Saúde e  da Área das Ciências Exatas e Tecnológicas, bem como desempenha função de assessora pedagógica junto ao Núcleo de Apóio Pedagógico.
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Andolfatto, I., Dambrós, B. P., Gelinski, J. M. L. N., & Minotto, E. (2018). AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE METABÓLITOS SECUNDÁRIOS PRODUZIDOS POR ACTINOBACTÉRIAS FRENTE À ISOLADOS CLÍNICOS DE ESCHERICHIA COLI ORIUNDAS DE INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/17751
Edição
Seção
Videira - Pesquisa