Validação da Utilização de Ovo Desidratado em Pó na Alimentação de Frangos de Corte

  • Alicia Dal`Santo Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Francisco Mateus Zanandrea Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Rafael Felipe Bressanelli Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Felipe Leite Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Gabriel Rossato Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Paulo Cesar Guarnieri Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Edemar Aniecevski Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Juliana Romani Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Caroline Schimidt Facchi Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Gilnei Elmar Bosetti Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Karoline Isotton Henkes Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Tamires Kely Tosatti Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Heloisa Pagnussatt Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Maria Aparecida Sutille Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Fernanda Danieli Antoniazzi Valentini Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Tiago Goulart Petrolli Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

Resíduos de incubatório compreendem material residual decorrente do processo de incubação. Dentre os resíduos obtem-se os ovos não eclodidos que submetidos ao processo de desidratação e pulverização (spray-drier), são transformados em farinha de ovos desidratados (ovo em pó desidratado). O ovo desidratado em pó consiste em um subproduto altamente nutritivo na alimentação das aves, considerando um potencial com altos teores de proteínas, lipídeos, imunoglobulinas, vitaminas e minerais. O presente trabalho tem por objetivo avaliar e validar o uso do ovo desidratado em pó como alimento alternativo, seguro e viável para as aves, observando os efeitos sobre desempenho e produção além de determinar os coeficientes de digestibilidade do alimento para os animais. A pesquisa será conduzida nas instalações do setor de Avicultura da UNOESC Xanxerê, sendo utilizados 200 pintos de corte machos, da linhagem COBB, distribuídos no 1º dia de idade, em delineamento experimental inteiramente casualizado, composto por 5 tratamentos constituídos por oito repetições, com 5 animais em cada repetição. Sendo, controle, 0,05% (50 ppm de ovo desidratado), 1,0% (100 ppm de ovo desidratado), 1,5% (150 ppm de ovo desidratado) e  2,0% (200 ppm de ovo desidratado). Os animais serão criados de acordo com as normas e manejos adequados das granjas comercias e do manual de linhagem. Espera- se que a inserção do ovo em pó desidratado na alimentação das aves seja altamente digestível, proporcionando  resultados viáveis de produção, desempenho e digestibilidade para os frangos de corte.
Publicado
28-08-2018
Como Citar
Dal`SantoA., Zanandrea, F. M., Bressanelli, R. F., Leite, F., Rossato, G., Guarnieri, P. C., Aniecevski, E., Romani, J., Schimidt Facchi, C., Bosetti, G. E., Isotton Henkes, K., Tosatti, T. K., Pagnussatt, H., Sutille, M. A., Antoniazzi Valentini, F. D., & Goulart Petrolli, T. (2018). Validação da Utilização de Ovo Desidratado em Pó na Alimentação de Frangos de Corte. Seminário De Iniciação Científica, Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão E Mostra Universitária. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/17746
Edição
Seção
Xanxerê - Pesquisa