ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA COMO POSSIBILIDADE DE SOCIALIZAÇÃO DO ALUNO AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

Resumo

Esta proposta objetiva apresentar uma reflexão em torno das práticas de ensino da Educação Física realizadas por professores em turmas de Educação Infantil para identificar as possibilidades de socialização dos alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA). A necessidade de reflexão sobre a temática, socialização do autista, teve origem nas inquietações da pesquisadora durante o seu percurso acadêmico e profissional, inquietações como: de que maneira a Educação Física pode possibilitar a socialização do aluno com TEA na Educação Infantil do Ensino Regular a partir das práticas de ensino da Educação Física? Como o processo de socialização é compreendido e conceituados nos materiais que orientam as práticas do profissional de Educação Física? Propomos uma análise pautada pela perspectiva histórico-cultural a qual compreende as relações humanas em toda a complexidade que encerra, buscando-se um olhar da totalidade. Olhar que possibilita compreender o sujeito como ser constituindo a partir do social nos movimentos de contradição, negação e elevação. Face à perspectiva, apontamos que as práticas de ensino da Educação Física possuem potencial para elevar o processo de socialização da criança com autismo, pois viabiliza uma prática para além dos conhecimentos científicos, uma prática que permite o contato com o outro.  A metodologia é organizada a partir de leituras sobre a temática TEA, inclusão e socialização, práticas de ensino na Educação Física, análise dos diários dos professores e entrevistas com eles.

Downloads

Publicado

13-09-2017

Como Citar

Ilher, D. M., & Moro Campos de Oliveira, M. (2017). ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA COMO POSSIBILIDADE DE SOCIALIZAÇÃO DO ALUNO AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/15050

Edição

Seção

Chapecó - Pesquisa