ALTERAÇÕES QUALITATIVAS DAS SILAGENS DE MILHO EXPOSTAS A DIFERENTES TEMPOS DE EXPOSIÇÃO AO AR E DISTINTAS TEMPERATURAS APÓS A “DESENSILAGEM”.

Autores

  • Marco Antônio Staudt Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Diego Prado de Vargas Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)

Resumo

As fases de colheita, ensilagem, armazenamento, utilização e fornecimento da silagem de planta inteira de milho influencia na qualidade desta forragem. Assim, estes processos de confecção e fornecimento devem garantir que os nutrientes deste volumoso alcancem os animais com o mínimo de perdas, uma vez que a silagem de milho representa a principal forragem utilizada na dieta de ruminantes. Contudo, visando a menor mão de obra, alguns produtores optam por retirá-la uma vez a cada três ou quatro dias, fazendo com que a mesma fique exposta ao ar, o que poderia alterar o seu valor nutricional. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes tempos de exposição ao ar e temperaturas na qualidade da silagem de milho. Para avaliar as combinações destes binômios foram analisadas após a retirada da silagem de cada mini-silo, em quatro repetições, amostras que permaneceram amontoadas em recipientes plásticos, expostas ao ambiente numa sala fechada com piso de madeira, por diferentes tempos de exposição ao ar (0, 24, 48 e 72 horas) e distintas temperaturas (10, 20 e 30°C), totalizando 12 repetições. Os diferentes tempos de exposição ao ar e temperaturas após a desensilagem influenciam na qualidade da silagem de milho, principalmente no que diz respeito à digestibilidade da matéria seca. As combinações de 72 horas de exposição com as distintas temperaturas (10, 20 e 30°C) afetaram a qualidade desse volumoso. Nesse sentido, não seria aconselhável o fornecimento da silagem de milho passadas 48 horas de exposição ao ar após a desensilagem.

Biografia do Autor

Marco Antônio Staudt, Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)

Acadêmico do cusro de Medicina veterinária.

Diego Prado de Vargas, Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)

Professor do curso de Medicina veterinária.

Downloads

Publicado

13-09-2017

Como Citar

Staudt, M. A., & Vargas, D. P. de. (2017). ALTERAÇÕES QUALITATIVAS DAS SILAGENS DE MILHO EXPOSTAS A DIFERENTES TEMPOS DE EXPOSIÇÃO AO AR E DISTINTAS TEMPERATURAS APÓS A “DESENSILAGEM”. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/15006

Edição

Seção

São Miguel do Oeste - Pesquisa