POTENCIAL ALELOPÁTICO DE DIFERENTES EXTRATOS DE AVEIA, AZEVÉM, NABO E CONSÓRCIO NO CRESCIMENTO INICIAL DO MILHO EM LABORATÓRIO E A CAMPO

Autores

  • Rodrigo Santin Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Cristiano Reschke Lajus Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Claudia Klein Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

O presente estudo teve como objetivo avaliar o potencial alelopático de diferentes extratos no crescimento inicial do milho. Para a preparação dos extratos aquosos, os materiais foram coletados em estádio de florescimento. Para a condução dos ensaios, os extratos aquosos, foram obtidos a partir dos exsudados do material coletado nas concentrações de 100%, além da testemunha absoluta (água destilada). Os testes em laboratório foram contabilizados as sementes germinadas e índice de velocidade de germinação, não revelando efeito significativo para as variáveis respostas. O experimento a campo as variáveis respostas foram: diâmetro de colmo (DC), comprimento da maior raiz (CMR), massa verde da parte aérea (MVPA), massa verde da raiz (MVR), massa seca da parte aérea (MSPA) e massa seca da raiz (MSR), as quais foram determinadas no estádio vegetativo V6. Os dados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) pelo teste F e as diferenças entre as médias foram comparadas pelo teste de Tukey (P≤0,05). No campo as variáveis que não revelaram efeito significativo, foram: MVPA, MVR, MSPA e MSR. Sabendo da gama de estudos que apresentam causas de efeito negativo dos aleloquímicos na cultura do milho, nesta pesquisa verificou-se que o tratamento em consórcio e de extratos isolados de plantas de cobertura não apresentaram efeitos negativos no crescimento inicial da cultura do milho, o que indica que estas plantas podem ser utilizadas como cobertura vegetal no solo antes da semeadura do milho, pois estimularam o crescimento da maior raiz e do diâmetro do colmo.

Biografia do Autor

Rodrigo Santin, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Acadêmico de Agronomia

Cristiano Reschke Lajus, Universidade do Oeste de Santa Catarina

O ensino médio foi concluído no Colégio Marista ?São Francisco?, no município de Chapecó, SC, no ano de 1996. Engenheiro Agrônomo, formado em 02 de março de 2002 pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), Chapecó, SC. Os cursos de Mestrado e Doutorado em Agronomia, área de concentração em Produção Vegetal, na Universidade de Passo Fundo foram concluídos em fevereiro de 2004 e outubro de 2010. Atualmente é Coordenador do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu Doutorado (DINTER) em Ciência e Engenharia de Materiais UFSCar/Unochapecó e professor do Mestrado em Tecnologia e Gestão da Inovação da Universidade Comunitária de Chapecó e da Universidade do Oeste de Santa Catarina. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Produção Vegetal e Agricultura de Precisão.

Claudia Klein, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Engenheira Agrônoma formada na Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), Licenciada em Agronomia pelo Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), Mestra em Produção Vegetal pelo Programa de Pós Graduação em Agronomia da Universidade de Passo Fundo (PPGAgro-UPF), Doutora pelo PPGAgro UPF, Linha de pesquisa Solos, macroprojeto física de solos agrícolas e sua relação com as plantas e o ambiente. Tem experiência na área de Agronomia, atuando principalmente nos seguintes temas: propriedade físico-hídrico-mecânicas de solos sob plantio direto, escarificação mecânica do solo, condutividade hidráulica, e parâmetros biométricos do milho. Atualmente é coordenadora e professora do Curso de Agronomia da Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus Aproximado de São José do Cedro.

Downloads

Publicado

13-09-2017

Como Citar

Santin, R., Lajus, C. R., & Klein, C. (2017). POTENCIAL ALELOPÁTICO DE DIFERENTES EXTRATOS DE AVEIA, AZEVÉM, NABO E CONSÓRCIO NO CRESCIMENTO INICIAL DO MILHO EM LABORATÓRIO E A CAMPO. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/14978

Edição

Seção

PIBIC- CNPq