DESENVOLVIMENTO DE SUPORTES HIDROFÓBICOS A BASE DE COPOLÍMEROS PARA IMOBILIZAÇÃO DE LIPASES

Autores

  • César Milton Baratto UNOESC-Videira
  • Cristian Antunes de Almeida UNOESC-Videira

Resumo

A eminente escassez de recursos naturais como o petróleo, estimula a busca por novas alternativas de combustíveis renováveis, uma possibilidade promissora é a produção do biodiesel. A obtenção do biodiesel é dada por uma reação de transterificação e dentre os catalizadores mais vantajos ambientalmente está o enzimático. As lipases, por sua vez, quando imobilizadas em suportes hidrofóbicos apresentam inúmeras vantagens durante o processo. O objetivo foi de modificar copolímeros visando sua hidrofobização para imobilização de lipase com potencial produção de biodiesel. Para isso, foram produzidos e modificados suportes a base de quitosana e alginato, esses suportes foram modificados com diferentes reagentes, sendo eles: compostos orgânicos com um grupo aldeído, TNBS e TEOS. Estes suportes foram avaliados quanto ao grau de hidrofobicidade, de hidratação e de reticulação, e após foram utilizados para a imobilização de lipase comercial e substrato enzimático bruto microbiano. Os resultados indicam houve aumento na hidrofobicidade, diminuição na hidratação dos suportes modificados e que os grupos hidrófobos se ligaram no suporte, comparados com o suporte não modificado. Os suportes mais eficientes na imobilização de lipase comercial e produção de biodiesel foram os suportes modificados com TNBS e laurinaldeido, entretanto os imobilizados com enzima microbiana bruta não foi capaz de produzir biodiesel. Conclui-se que a metodologia de modificação do suportes foi eficiente para a sua hidrofobização e estes apresentam potencial para imobilização de lipase e produção do biodiesel.

Downloads

Publicado

13-09-2017

Como Citar

Baratto, C. M., & Almeida, C. A. de. (2017). DESENVOLVIMENTO DE SUPORTES HIDROFÓBICOS A BASE DE COPOLÍMEROS PARA IMOBILIZAÇÃO DE LIPASES. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/14864

Edição

Seção

PIBITI - CNPq