COGNIÇÃO E NEUROTICISMO: UM ESTUDO EM DEPENDENTES QUÍMICOS EM ABSTINÊNCIA

  • Scheila Beatriz Sehnem UNOESC
  • Karina Quioca
  • Natalia Brandini Zampieri

Resumo

A compreensão da psicologia referente à dependência química implica numa ampla avaliação, pois esse é um transtorno com inúmeros desdobramentos na adaptação, na funcionalidade e na vida diária dos usuários. A proposta deste estudo foi investigar as condições cognitivas, as características de neuroticismo e de personalidade de dependentes químicos em período de abstinência. Os dados foram obtidos através de uma entrevista e dos testes psicológicos: Neupsilin: Instrumento de Avaliação Neuropsicológica Breve, EFN: Escala Fatorial de Ajustamento Emocional/Neuroticismo e do Palográfico, e analisados qualiquantitativamente. Participaram desta pesquisa nove sujeitos, internados numa clínica de reabilitação de Santa Catarina, todos com mais de sessenta dias de internação e idade média de trinta e cinco anos. Foi identificada a proeminência no comprometimento da função de memória onde os usuários de cocaína e derivados apresentaram maior frequência nas alterações do que os dependentes de outros tipos de droga. O grupo foi caracterizado com traços padrões para a dimensão de neuroticismo, sendo percebidas maiores alterações no subfator da ansiedade. O comprometimento da função cognitiva de percepção, proeminente neste estudo, correlaciona-se com as alterações referentes à ansiedade. Este estudo identificou que em abstinência e em acompanhamento terapêutico integral os participantes apresentaram a maioria dos aspectos avaliados sem comprometimento. As alterações específicas encontradas se correlacionam e são úteis no direcionamento da abordagem dos profissionais da saúde.

Publicado
13-09-2017
Como Citar
Sehnem, S. B., Quioca, K., & Zampieri, N. B. (2017). COGNIÇÃO E NEUROTICISMO: UM ESTUDO EM DEPENDENTES QUÍMICOS EM ABSTINÊNCIA. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/14464
Edição
Seção
Joaçaba - Pesquisa