REAPROVEITAMENTO DE RESÍDUO SÓLIDO INDUSTRIAL, CONSTITUÍDO POR AREIA DE FUNDIÇÃO RESIDUAL NA PRODUÇÃO DE CONCRETO

  • Loivo Bertoldi
  • Raquel Cavalli

Resumo

Estima-se uma produção aproximada de três milhões de toneladas de areia de
fundição, no país. Esta representa o maior volume de produção, de resíduos sólidos
industriais. No entanto, o reaproveitamento desse material é muito baixo. Esse material
é caracterizado como um passivo ambiental, poluidor do solo e das águas superficiais e
subterrâneas. Através desse breve contexto, este relatório tem como objetivo analisar a
probabilidade de inserir a areia residual de fundição como uma nova adição na
produção de concreto. Verificando dessa forma qual é a sua influência direta e indireta
nas propriedades físicas do concreto, buscando novas formas de reaproveitamento deste
material. Desse modo, foram dosados diferentes traços com teores de areia de fundição
(0, 10, 15, 20, 25, 30 e 35 %) em substituição a areia natural. A análise dos resultados
baseou-se na trabalhabilidade das misturas e resistência a compressão. Os resultados
desse trabalho mostraram que o emprego da areia de fundição na produção do concreto
não é recomendado sem o uso de aditivo superplastificante, a partir da adição de 20%
de areia de fundição, uma vez que há um aumento de demanda de água e redução da
resistência a compressão, conforme aumenta a quantidade de material fino na mistura e
a relação água/cimento é mantida. Através dos resultados acima, é possível a inserção
da areia de fundição como uma adição na produção de concreto, no entanto faz-se
necessário o uso de aditivo superplastificante na mistura, a fim de melhorar suas
propriedades mecânicas.
Publicado
24-08-2016
Como Citar
Bertoldi, L., & Cavalli, R. (2016). REAPROVEITAMENTO DE RESÍDUO SÓLIDO INDUSTRIAL, CONSTITUÍDO POR AREIA DE FUNDIÇÃO RESIDUAL NA PRODUÇÃO DE CONCRETO. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/11762
Edição
Seção
São Miguel do Oeste - Pesquisa