PREVALÊNCIA DE Staphylococcus aureus MULTIRESISTENTES NA CAVIDADE NASAL E MÃOS DE ESTUDANTES DA ÁREA DA SAÚDE

  • Eliandra Mirlei Rossi
  • Carine Berwig

Resumo

Staphylococcus aureus é um dos principais patógenos causadores de infeccções
nosocomiais e os humanos podem ser colonizados por essa bactéria nas mãos e na
cavidade nasal. Desse modo, o controle e a detecção de portadores de S. aureus assume
significativa importância quando se trata de estudantes da área de saúde, tendo em vista
que esses profissionais podem carrear cepas de bactérias resistentes. Foram coletadas
280 amostras (140 das mãos e 140 de narinas) de estudantes da área da saúde da
Universidade do Oeste de Santa Catarina (70 estudantes do curso de Enfermagem, 65 de
Farmácia, 2 de Fisioterapia, e 3 de Biomedicina). As amostras foram coletadas com
swabs umedecidos em solução fisiológica 0,8% e posteriormente semeadas em ágar Sal
Manitol e identificadas por testes bioquímicos. As cepas S. aureus isoladas foram
submetidas a antibiograma. Além disso, foi aplicado um questionário para conhecer os
hábitos de higiene e atividades diárias dos estudantes. Das 280 amostras, 76 (54,2%)
foram positivas para Staphylococus aureus, sendo que 31 (51%) pessoas eram
portadoras nas mãos, 31 (25%) portadoras nasais, e 13 (21%) eram portadoras em
ambos os sítios analisados.A maior resistência das cepas de S.aureus isoladas foi para
Ampicilina (73,68% das cepas), Penicilina (50%), Nitrofurantoína (38,15%) e Oxacilina
(26,30%). As cepas foram mais suscetíveis para os antibióticos Gentamicina (2,63%),
Eritromicina (5,26%), Rifampicina (5,26%) Cefalotina (6,58%). A maioria dos
participantes (75%) afirmaram que lavam as mãos antes ou depois de cada
procedimento, o que pode reduzir o risco de transmissão de S.aureus com as mãos.
Porém, 42,85% dos estudantes reportaram que não usam máscaras durante os
procedimentos, fator que pode interferir na disseminação de cepas multirresistentes de
S.aureus, uma vez que 44 pessoas são portadoras nasais dessa bactéria. A alta resistência
encontrada nas cepas isoladas pode ser explicada pelo grande número (85,71%) dos
estudantes que usam frequentemente antibióticos. Esses resultados indicam que os
estudantes da área da saúde devem ser capacitados constantemente para prevenir a
transmissão de cepas de S.aureus multirresistentes por que todos os estudantes
avaliados desconheciam que eram portadores dessa bactéria.
Publicado
24-08-2016
Como Citar
Rossi, E. M., & Berwig, C. (2016). PREVALÊNCIA DE Staphylococcus aureus MULTIRESISTENTES NA CAVIDADE NASAL E MÃOS DE ESTUDANTES DA ÁREA DA SAÚDE. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/11758
Edição
Seção
São Miguel do Oeste - Pesquisa