ESCOLARIDADE, TERRITORIALIDADE NA RELAÇÃO COM A VIOLÊNCIA NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA, SC

  • Paulino Eidt
  • Maikel Gustavo Schneider

Resumo

A definição e caracterização da violência sofreram alterações ao longo da
história, sempre de acordo com os valores, sentimentos e cultura de cada sociedade e
período específico. Práticas aceitas ou toleradas em determinados períodos históricos
tornaram-se, em outros, passíveis de condenação, como descritas nos estudos de
Foucault (2002). A violência sempre esteve presente no cotidiano do homem e da
sociedade. Ela acontece na família, no trabalho, na escola, na vida social e em todos os
relacionamentos da infância à velhice. Neste entendimento, diversos fatores são
arrolados como geradores da violência. Na maioria dos estudos, aspectos
socioeconômicos e culturais têm sido apontados como determinantes no entendimento
da violência. O presente estudo ateve-se a dois fatores: grau de escolaridade dos
indivíduos e territorialidade dos infratores. Assim, a pesquisa apresenta na sua parte
inicial reflexões teóricas acerca da violência e fatores que a determinam, e num segundo
momento mostra o resultado da pesquisa realizada na Delegacia de Polícia do Município
de Itapiranga, SC, sobre a relação existente entre a escolaridade e a territorialidade no
cometimento de infrações penais. No seu conjunto foram analisados por amostragem
aleatória 10% dos 655 inquéritos registrados de 2011 a 2015. Resultados comprovaram
a relação direta existente entre grau de escolaridade e localização geográfica (regiões
menos valorizadas) dos infratores na relação com a violência explícita.
Publicado
24-08-2016
Como Citar
Eidt, P., & Schneider, M. G. (2016). ESCOLARIDADE, TERRITORIALIDADE NA RELAÇÃO COM A VIOLÊNCIA NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA, SC. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/11714
Edição
Seção
São Miguel do Oeste - Pesquisa