ADOÇÃO NO BRASIL: UMA FORMA DE COMPLETAR-SE

  • Amanda Saraiva Angonese
  • Kaciana Fiorese

Resumo

Levando em consideração que adotar significa possibilitar acesso ao futuro
melhor, não só com o cunho material e patrimonial, mas acima de tudo, o caráter
sentimental, deve-se caracterizar tal conceito pela entrega mútua entre adotando e
adotado, satisfazendo interesses íntimos e tendo como cerne a construção de uma
família digna e solidária. Este artigo tem como objetivos: verificar quais são as
expectativas para o processo de adoção; identificar as dificuldades encontradas pelos
pais no processo de adoção e compreender de que forma o vínculo se estabelece na
relação entre pais e filhos adotivos. Para tal, foi usado para análise de dados o método de
Bardin, com entrevistas realizadas de forma qualitativa e semiestruturada, com a
colaboração de cinco casais de pais adotivos. O que se pode verificar é a convivência dos
pais com seus filhos adotivos. Assim como, o aprofundamento do assunto de forma
dialogada, onde os pais puderam expor suas relações familiares abertamente, sem
preconceitos. Os resultados mostram que a relação tem laços afetivos bem estabelecidos,
e, também, a forma de sentir e perceber o filho adotado é a mesma forma de percepção
de um filho biológico, ou seja, que os filhos adotados são como filhos biológicos, o
vínculo e a relação afetiva somente correspondem com afeto dos pais. Os filhos só
transmitirão o que lhes foi ofertado quando crianças.
Publicado
24-08-2016
Como Citar
Angonese, A. S., & Fiorese, K. (2016). ADOÇÃO NO BRASIL: UMA FORMA DE COMPLETAR-SE. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/11609
Edição
Seção
São Miguel do Oeste - Pesquisa