RAZÃO DE FORÇA MÁXIMA DE ISQUIOTIBIAIS E QUADRÍCEPS EM PRATICANTES DE FUTEBOL: UM ESTUDO PILOTO

Resumo

Resumo: O futebol é o esporte mais praticado no mundo, e consequentemente a modalidade com maior quantidade de lesões, principalmente de membros inferiores. Por esse motivo, é importante identificar os fatores endógenos, como desequilíbrios musculares associados as lesões deste esporte. O presente estudo tem como objetivo traçar o perfil da razão de força entre quadríceps e isquiotibiais de jovens praticantes de futebol. O grupo de estudo foi composta por 13 sujeitos da Escolinha de Futebol da Associação Chapecoense com uma média de idade de 14,4±0,8 anos. Para aplicação do teste de 1-RM foi usada mesa flexora e a cadeira extensora da marca PHYSICUS Linha Premio modelos LEP03 e LEP02. Os participantes foram orientados em relação a forma de execução do teste e passaram por uma adaptação ao teste no dia anterior a realização da coleta. Os resultados apontam uma razão entre os isquiotibiais e o quadríceps de 2 a 3-1(n=5: 2-1; n=8: 3-1), sendo que esta razão se manteve estável entre os membros contralaterais. Ao termino do estudo, verificou-se um grande desiquilíbrio de força muscular máxima entre os isquiotibiais e quadríceps dos praticantes da escolinha, sendo necessário uma ênfase no treinamento dos grupos musculares mais fracos. Essa pesquisa teve algumas limitações, entre elas, algumas dificuldades na realização do teste e a falta de testes e dados complementares para associar ou não esses desequilíbrios com lesões

Biografia do Autor

Jucielly Carla Téo, Unoesc
Ciêncidas da Vida
Publicado
24-08-2016
Como Citar
Téo, J. C., Laux, R. C., & Pagliari, P. (2016). RAZÃO DE FORÇA MÁXIMA DE ISQUIOTIBIAIS E QUADRÍCEPS EM PRATICANTES DE FUTEBOL: UM ESTUDO PILOTO. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/11440
Edição
Seção
Chapecó - Ensino