TRATAMENTO DE ÁGUA POR OZONIZAÇÃO: REVISÃO

  • Maria Rita Chaves Nogueira Universidade do Oeste de Santa Catarina https://orcid.org/0000-0003-0702-4104
  • Gabriela Chaves Universidade do Oste de Santa Catarina
  • Laís Bruna Verona Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

Em todo o mundo é possível encontrar projetos e alternativas para o reuso da água, mas em alguns locais, isso vem sendo considerado um caso emergencial, devido aos processos de desertificação e frequente escassez. O consumo desenfreado, aumento populacional e consequências do aquecimento global contribuem para o agravamento desta situação, incentivando a busca por conhecimentos e aplicações de novas e alternativas tecnologias no tratamento de água e efluentes. A principal função de uma estação de tratamento de águas (ETA) convencional é a de remover a carga poluente seja ela de compostos coloidais ou solúveis. Entretanto existe uma variedade de contaminantes, os quais muitas vezes não são totalmente eliminados. Nesse contexto é que tecnologias como a dos Processos Oxidativos Avançados (POAs) se inserem, potencializando a mineração, desinfecção, desintoxicação, remoção de cor e turbidez dessas águas. A ozonização se inclui nessas tecnologias devido ao elevado poder de oxidação do ozônio, o qual possibilita a eliminação ou degradação de compostos persistentes que não são anulados em sistemas biológicos convencionais. 

Biografia do Autor

Maria Rita Chaves Nogueira, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Atualmente é coordenadora do curso de Engenharia de Alimentos e de Biotecnologia Industrial da Universidade do Oeste de Santa Catarina e faz parte do Núcleo Docente Estruturante dos cursos de Biotecnologia Industrial, Engenharia de Alimentos, Engenharia Química, Engenharia Engenharia Sanitária e Ambiental e Química Licenciatura da mesma instituição. É professora titular dos cursos de Biotecnologia Industrial, Engenharia de Alimentos, Engenharia Química, Engenharia Engenharia Sanitária e Ambiental, Farmácia e Química Licenciatura. Possui graduação em Engenharia de Alimentos pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (2007), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (2010), e doutorado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (2014) com período sanduíche na Rice University (Houston, TX, EUA). Tem experiência na área de processos oxidativos avançados, cinética química, tratamento catalítico de compostos orgânicos e reações heterogêneas. Atua também na área de Ciência e Tecnologia de Produtos Naturais, Biotecnologia Ambiental e Biotecnologia Aplicada a Agroindústria e Saúde.
Gabriela Chaves, Universidade do Oste de Santa Catarina
Graduanda do curso de Engenharia de Alimentos. Área Ciências da Vida. Experiência em tratamento de recursos hídricos.
Laís Bruna Verona, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Graduanda do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental. Área Ciências da Vida. Experiência em tratamento de recursos hídricos.
Publicado
24-08-2016
Como Citar
Chaves Nogueira, M. R., Chaves, G., & Verona, L. B. (2016). TRATAMENTO DE ÁGUA POR OZONIZAÇÃO: REVISÃO. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/11405
Edição
Seção
Videira - Pesquisa