BULLYING NA ESCOLA: COMPREENSÃO DE ALUNOS BRASILEIROS E PORTUGUESES

  • Maria Teresa Ceron Trevisol Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Patrícia Mattana Mattana Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC - Campus de Chapecó (SC).
  • Uesley Soccol Soccol Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC - Campus de Chapecó (SC).

Resumo

A pesquisa investigou razões promotoras do bullying na escola, a partir da compreensão de alunos portugueses e brasileiros; como se posicionam frente ao problema; como avaliam as medidas tomadas pela escola visando solucioná-lo. O estudo realizado se caracteriza como descritivo e de natureza quanti-qualitativa.  A amostra foi constituída por 235 alunos, vinculados aos anos finais do ensino fundamental, oriundos de duas escolas públicas, uma do Brasil, da região Oeste de Santa Catarina e outra de Portugal, da região Norte, do Minho. A coleta dos dados se deu pela aplicação de um questionário e, na análise, utilizou-se o software google docs. Quanto a ocorrência de bullying evidenciou-se que é maior o número de alunos portugueses a afirmar que não maltratam, nem são maltratados por outras colegas na escola, em relação a amostra brasileira. Sobre as razões que promovem o bullying houve convergência entre as respostas das duas amostras, tendo prevalecido a menção a variáveis intrapessoais. Quanto ao posicionamento em relação ao bullying, a resposta mais indicada pelos alunos brasileiros foi de que procuram afastar-se e não se envolver com o que está acontecendo, enquanto na amostra portuguesa indicou pedir aos agressores que parem com este tipo de comportamento. Com relação a como avaliam os encaminhamentos tomados pela escola, os alunos assinalaram que comumente a escola não toma conhecimento do problema. Quanto a sugestões em relação ao problema a amostra brasileira e a portuguesa indicaram a expulsão/transferência. O bullying é um problema sério que demanda encaminhamento.

Palavras-chave: Bullying na escola. Razões promotoras do problema. Alunos adolescentes brasileiros e portugueses. 

Biografia do Autor

Maria Teresa Ceron Trevisol, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Docente da graduação e do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGEd) da Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC. Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo - USP.
Patrícia Mattana Mattana, Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC - Campus de Chapecó (SC).
Aluna do Curso de Psicologia da Unoesc - Campus de Chapecó (SC). Auxiliar de pesquisa - Projeto PIBIC/CNPQ.
Uesley Soccol Soccol, Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC - Campus de Chapecó (SC).
Aluno do Curso de Psicologia da Unoesc - Campus de Chapecó (SC). Auxiliar de pesquisa - Projeto PIBIC/CNPQ.
Publicado
24-08-2016
Como Citar
Trevisol, M. T. C., Mattana, P. M., & Soccol, U. S. (2016). BULLYING NA ESCOLA: COMPREENSÃO DE ALUNOS BRASILEIROS E PORTUGUESES. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/siepe/article/view/11289
Edição
Seção
PIBIC- CNPq