MORFOLOGIA URBANA: A SEGREGAÇÃO NA CIDADE CONTEMPORÂNEA

Autores

  • Marcelo Ferreira da Silva Salla Especialista em Planejamento Urbano, Arquiteto e Urbanista, Unoesc
  • Anderson Saccol Ferreira Universidade do Oeste de Santa Catarina, Unoesc

Palavras-chave:

Segregação, Cidades contemporâneas, Morfologia urbana

Resumo

O artigo aborda o que entendemos como ruptura da malha urbana nas cidades contemporâneas, o que por sua vez culmina em espaços segregados no solo urbano no Brasil. O objetivo desse trabalho é realizar uma revisão teórica da segregação consolidada no solo urbano. Além de trazer uma breve abordagem histórica do termo segregação, se encontra entre as questões analisadas, os aspectos relacionados as causas dessa ruptura e ao mesmo tempo, elucidar as causas e consequências do agrupamento de semelhantes em comunidades, sejam elas carentes ou mesmo em condomínios residências de alto padrão, bem como, observar o comportamento dos mesmos em relação ao entorno dos agrupamentos, seja no perímetro imediato ou em relação a toda a cidade. Como resultado, foi possível elencar os agentes desse fenômeno, como, o poder monetário ou a falta dele advindo do fator capitalista do mercado financeiro vigente, a atuação do mercado imobiliário na transformação do solo das cidades em mercadorias e as políticas públicas voltadas para as questões relacionadas ao planejamento urbano, a moradia e a morfologia urbana. 

Downloads

Publicado

19-07-2021

Edição

Seção

Eixo Temático 1: Cidades inteligentes e sustentáveis