PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DE ÁREAS VERDES NA CIDADE DAS MANGUEIRAS: UMA LEITURA LEFEBVRIANA SOBRE BELÉM DO PARÁ

Autores

  • Gabriel Villas Boas de Amorim Lima Universidade Federal do Pará
  • Renato Martins das Neves Universidade Federal do Pará
  • José Nunes da Silva Alves Universidade do Oeste de Santa Catarina, Unoesc

Palavras-chave:

Henri Lefebvre, Espaço concebido, Espaço percebido, Espaço vivido, Privilégio Verde

Resumo

Este estudo objetivou compreender como as áreas verdes de Belém-PA (denominada Cidade das Mangueiras) são concebidas, percebidas e vividas por diferentes agentes da cidade (Estado, Capital e Sociedade) a partir da teoria da produção do espaço de Henri Lefebvre. Para isso, utilizou-se o método regressivo-progressivo que analisou articulações contemporâneas da produção socioespacial de áreas verdes, reconstituindo historicamente as relações estabelecidas que pudessem justificar a conformação socioambiental presente, retornando então ao presente para destacar as contradições observadas na contemporaneidade. Para isso, empregou-se procedimentos bibliográficos e documentais que permitiram cruzar informações e construir um entendimento comum sobre o assunto. Os resultados indicaram que os espaços concebido e percebido são controlados nas perspectivas político-administrativa e ideológica, respectivamente, induzindo áreas centrais a utilizarem suas áreas verdes como instrumentos de valorização do capital imobiliário. Isso explicita a dicotomia socioambiental ao evidenciar que bairros periféricos não vivenciam espaços verdes satisfatórios, tornando a ocorrência destes um privilégio verde reservado a quem pode pagar por ele. Desse modo, concluiu-se que, embora tratadas midiaticamente como sinônimas, na prática, a Cidade das Mangueiras é substancialmente menor que a cidade de Belém, restrita às áreas centrais da cidade, cuja valorização fundiária mantém a produção socioespacial desigual de áreas verdes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Villas Boas de Amorim Lima, Universidade Federal do Pará

Engenheiro Civil, Mestrando em Engenharia Civil (Construção) pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Renato Martins das Neves, Universidade Federal do Pará

Engenheiro Civil, Professor Associado IV, Docente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal do Pará (PPGEC-UFPA). Coordenador da Comissão de Regularização Fundiária (CRF).

José Nunes da Silva Alves, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Unoesc

Arquiteto e Paisagista, Mestre em Habitação, Professor da Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus Xanxerê-SC.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Edição

Seção

Eixo Temático 1: Cidades inteligentes e sustentabilidade