PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DE ÁREAS VERDES NA CIDADE DAS MANGUEIRAS: UMA LEITURA LEFEBVRIANA SOBRE BELÉM DO PARÁ

Autores

  • Gabriel Villas Boas de Amorim Lima Universidade Federal do Pará
  • Renato Martins das Neves Universidade Federal do Pará
  • José Nunes da Silva Alves Universidade do Oeste de Santa Catarina, Unoesc

Palavras-chave:

Henri Lefebvre, Espaço concebido, Espaço percebido, Espaço vivido, Privilégio Verde

Resumo

Este estudo objetivou compreender como as áreas verdes de Belém-PA (denominada Cidade das Mangueiras) são concebidas, percebidas e vividas por diferentes agentes da cidade (Estado, Capital e Sociedade) a partir da teoria da produção do espaço de Henri Lefebvre. Para isso, utilizou-se o método regressivo-progressivo que analisou articulações contemporâneas da produção socioespacial de áreas verdes, reconstituindo historicamente as relações estabelecidas que pudessem justificar a conformação socioambiental presente, retornando então ao presente para destacar as contradições observadas na contemporaneidade. Para isso, empregou-se procedimentos bibliográficos e documentais que permitiram cruzar informações e construir um entendimento comum sobre o assunto. Os resultados indicaram que os espaços concebido e percebido são controlados nas perspectivas político-administrativa e ideológica, respectivamente, induzindo áreas centrais a utilizarem suas áreas verdes como instrumentos de valorização do capital imobiliário. Isso explicita a dicotomia socioambiental ao evidenciar que bairros periféricos não vivenciam espaços verdes satisfatórios, tornando a ocorrência destes um privilégio verde reservado a quem pode pagar por ele. Desse modo, concluiu-se que, embora tratadas midiaticamente como sinônimas, na prática, a Cidade das Mangueiras é substancialmente menor que a cidade de Belém, restrita às áreas centrais da cidade, cuja valorização fundiária mantém a produção socioespacial desigual de áreas verdes.

Biografia do Autor

Gabriel Villas Boas de Amorim Lima, Universidade Federal do Pará

Engenheiro Civil, Mestrando em Engenharia Civil (Construção) pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Renato Martins das Neves, Universidade Federal do Pará

Engenheiro Civil, Professor Associado IV, Docente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal do Pará (PPGEC-UFPA). Coordenador da Comissão de Regularização Fundiária (CRF).

José Nunes da Silva Alves, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Unoesc

Arquiteto e Paisagista, Mestre em Habitação, Professor da Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus Xanxerê-SC.

Downloads

Publicado

19-07-2021

Edição

Seção

Eixo Temático 1: Cidades inteligentes e sustentáveis